Mais 14 mortes por covid e hospitais em colapso na região; Indaiatuba tem 50 à espera de vagas

Hospitais em colapso, novos casos e mortes por covid na região

  • Os óbitos ocorreram em Itu e Indaiatuba e referem-se ao acumulado do final de semana;
  • Os hospitais de Indaiatuba, em colapso, têm 50 infectados à espera de vagas, sendo 17 em estado grave;
  • Salto também está sem leitos;
  • Prefeitos não pretendem adotar medidas restritivas locais, como fizeram outras 20 cidades do Estado em situação semelhante

A área de cobertura da Revista Regional confirmou mais 14 mortes por covid no final de semana, sendo 7 em Itu e outras 7 em Indaiatuba, conforme boletins epidemiológicos divulgados nesta segunda-feira, 07. Salto, conforme a Secretaria de Saúde local, não teve mortes confirmadas, mas não informou se houve óbitos suspeitos da doença. Em Indaiatuba, os hospitais continuam em colapso, sem vagas para internação. A Prefeitura, que não adotará medidas restritivas para tentar frear a contaminação, informou que há 50 infectados aguardando leitos, sendo 17 em estado grave. Esse índice refere-se à fila de espera de segunda-feira, 07. Salto também vive situação semelhante, com redes privada e pública sem vagas.

Itu, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, teve 7 mortes notificadas entre os dias 03 e 07 de junho, sendo de pacientes de ambos os sexos, com idades entre 44 e 91 anos. A cidade soma 15.039 casos confirmados, sendo 337 diagnosticados no mesmo período. Há 362 óbitos e 13.385 recuperados desde o início da pandemia. Itu possui 90 suspeitos à espera de resultados de exames, 33 pacientes internados em leitos clínicos e 31 em UTI. Na Santa Casa, a unidade intensiva está lotada. Já nos demais hospitais, a taxa de ocupação de leitos é a seguinte: Hospital Municipal – Enfermaria 57,14% e UTI 87,50%; e Hospital de Campanha – Enfermaria 82,50% e UTI 83,33%.

Indaiatuba também teve mais 7 mortes por covid confirmadas entre sexta-feira e domingo: as vítimas, de ambos os sexos, tinham entre 23 e 94 anos. No período, foram diagnosticados mais 350 infectados, mas o número de casos ativos pode ser maior, já que há 2.456 suspeitos ainda esperando resultados de testes, que seguem atrasados. A Prefeitura alega que o laboratório está com grande demanda de exames.

Há 117 pacientes internados em Indaiatuba, dos quais 94 possuem confirmação para covid-19. Desse total, 75 estão em leitos clínicos e 42 em UTI. O sistema hospitalar está colapsado, sem vagas de Enfermaria e de UTI. As vagas extras que a Prefeitura contratou em hospitais da Grande Campinas também estão todas ocupadas.

Questionado sobre a situação dos hospitais, o governo de Indaiatuba informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não adotará medidas locais de restrição por conta do colapso na rede hospitalar. A nota diz que a Prefeitura seguirá as determinações do governo do Estado, hoje em flexibilização, e pede que a população adote as medidas de distanciamento social. Em live na noite desta segunda, 07, o prefeito Nilson Gaspar disse que está intensificando a fiscalização e coibindo aglomerações e festas clandestinas. No entanto, há relatos de várias festas nos finais de semana na cidade, principalmente em bairros residenciais e condomínios, assim como aglomerações em alguns bares. Ao contrário de Gaspar, outros líderes municipais de mais de 20 cidades paulistas, principalmente na região de Ribeirão Preto, restringiram atividades presenciais e decretaram até lockdown quando seus hospitais atingiram 90% da capacidade. A preocupação desses prefeitos, como divulgado pela maioria deles, foi de salvar vidas.

O governo de Indaiatuba informou que, com o colapso hospitalar, 50 contaminados aguardam vagas, sendo 33 para Enfermaria e 17, em estado grave, para UTI. Essa fila refere-se aos índices de segunda-feira, dia 07.

Salto vive situação semelhante aos dos hospitais de Indaiatuba, com as 2 UTIs lotadas e as Enfermarias com 100% de ocupação na rede privada e 91% na rede pública. A cidade diminuiu a testagem de sua população e, em 5 dias, diagnosticou 86 casos novos, com 71 suspeitos. Com os números atuais, Salto totaliza 9.307 contaminados desde o início da pandemia, com 262 mortos e 9.030 recuperados. Questionado sobre a situação dos hospitais, o governo de Salto não retornou. Também não informou sobre pacientes que estão à espera de vagas. A reportagem apurou que a Prefeitura não pretende adotar medidas restritivas locais como fizeram outras cidades paulistas em colapso.

VACINA SIM!

Na região, acompanhe os números de vacinados contra a covid, conforme levantamento feito pela Revista Regional.

– Indaiatuba: 62.774 foram vacinados com a primeira dose e 28.507 com a segunda;

– Itu: 42.113 receberam a primeira dose e 20.220, a segunda;

– Salto: 28.867 com a primeira dose e 12.757 com a segunda.

 

foto: BIRF