Primeiras doses da Coronavac chegam a SP; Região tem nova morte por covid

  • Vacina contra o coronavírus está em fase final de estudos clínicos no Instituto Butantan;
  • Indaiatuba teve nova morte nesta quinta, dia 19; Região soma mais 128 casos da doença;
  • Há 724 suspeitos de contaminação em Indaiatuba

O governador João Doria e seus secretários apresentaram em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 19, na sede do governo paulista, na capital, as informações mais recentes sobre o enfrentamento da pandemia de covid-19, com destaque para a chegada a São Paulo do primeiro lote da Coronavac, a vacina contra o coronavírus que está em fase final de estudos clínicos no Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. 

O primeiro lote composto por 120 mil doses da vacina chegou nesta quinta-feira no Aeroporto Internacional de Guarulhos. O imuzinante, contudo, somente poderá ser utilizado após aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Estas 120 mil unidades integram a primeira remessa de 6 milhões de doses que o governo paulista comprou do laboratório chinês e que têm previsão de chegada a São Paulo até o fim do ano. Ao todo, serão 46 milhões de doses, sendo 6 milhões já prontas para aplicação e 40 milhões em forma de matéria-prima para formulação e envase em fábrica do Instituto Butantan. 

As demais remessas devem chegar ao Estado no decorrer das próximas semanas. Já a disponibilização para a população ocorrerá somente após a comprovação da eficácia, que deverá acontecer após a conclusão da terceira fase dos estudos clínicos e posterior aprovação da Anvisa. 

As autoridades paulistas pedem cautela nesse momento, em face do aumento do número de casos e internações em algumas regiões do Estado. Por conta disso, não foi feita a reclassificação do Plano São Paulo na última segunda-feira, dia 16, sendo postergada para 30 de novembro. “Hoje, São Paulo tem 43% de ocupação de leitos de UTI no Estado”, disse o secretário Marco Vinholi. “A população precisa seguir firme, colaborando e reforçando as medidas de precaução”, alertou. 

Nova morte por covid em Indaiatuba

COMO ESTÁ A REGIÃO

Nas últimas 24 horas, a região contabilizou mais uma morte por covid em Indaiatuba. De acordo com a Prefeitura, há ainda um outro óbito suspeito em investigação. A paciente confirmada tinha 65 anos e estava internada no Haoc (Hospital Augusto de Oliveira Camargo) desde o dia 15 de novembro.

Nesta quinta, 19, também foram confirmados 48 novos contaminados pelo coronavírus. Com isso, Indaiatuba soma 8.394 casos, sendo que 241 pacientes morreram, 8.137 são considerados curados ou estão em recuperação domiciliar e 16 confirmados continuam internados, um a mais que no dia anterior.

Ainda há outros 724 casos suspeitos aguardando resultado de exame. Atualmente, há 24 pessoas internadas em leito clínico e 10 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A taxa de ocupação da UTI do Haoc está em 42% nesta quinta, já a rede privada está sem paciente internado em sua UTI.

Itu não teve mortes pela doença nas últimas 24 horas e registrou 37 contaminados. Desde março, quando começou a pandemia, até esta quinta, 19 de novembro, a cidade teve 3.846 casos confirmados de covid, sendo que 104 pacientes morreram e 3.629 se recuperaram. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, há 48 suspeitos aguardando resultados, 10 pacientes internados em leito clínico e 8 em UTI. A taxa de ocupação das UTIs está em 75% no Hospital Municipal e 16,6% no Hospital de Campanha.

Salto confirmou 43 novos infectados nas últimas 24 horas, conforme boletim divulgado pela Prefeitura. A cidade tem 3.565 casos confirmados desde o início do surto de covid, sendo que 70 pessoas morreram, 3.418 evoluíram para cura, 5 seguem internadas (sendo 3 em UTI) e 72 estão em isolamento domiciliar.

Há 41 casos suspeitos que aguardam resultados. Destes, 7 estão em internação clínica (sendo 2 em UTI). Nesta quinta, 19, a ocupação da UTI para covid do Hospital Municipal está em 50%.

 

foto: BIRF