Flexibilização agora terá avaliação mensal; Salto não terá mais aula presencial em 2020

  • Progressão de fase da flexibilização agora será mensal, porém regressão pode ocorrer a qualquer momento com fechamento de todas as atividades não-essenciais;
  • Prefeitura de Salto suspende aulas presenciais nas escolas e universidades até final de 2020;
  • Nesta sexta, 11 de setembro, Itu e Indaiatuba tiveram mais uma morte pela doença

Nesta sexta-feira, 11 de setembro, o governo do Estado anunciou que agora fará as reclassificações de fases do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena nas cidades paulistas mensalmente. Com isso, o possível avanço da região para a fase verde, que permitirá maior funcionamento da economia, poderá acontecer apenas a partir de 09 de outubro.

Apesar da alteração no período de medição do Plano São Paulo, o governo do Estado poderá decretar regressão para a fase vermelha (fechamento das atividades não-essenciais) de qualquer região, a qualquer momento, em caso de piora significativa das taxas de contaminação por coronavírus ou redução acentuada da capacidade hospitalar. Nesta sexta-feira, 11, pela primeira vez na pandemia, todo o Estado ficou na fase amarela.

Pela primeira vez durante a pandemia, todas as regiões do Estado estão na fase amarela

“Não haverá retorno para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de prefeitos, secretários municipais de saúde e da própria população. Afinal, a população precisa se resguardar e se proteger, obrigatoriamente usar máscara ao sair de casa, seguir o distanciamento social de 1,5 metro, lavar as mãos e usar álcool em gel”, destacou o governador João Doria durante coletiva de imprensa.

Na média estadual, os números apontam que a pandemia vem regredindo de forma consistente. De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde e do Centro de Contingência do coronavírus, São Paulo registra declínio de mortes por covid há cinco semanas consecutivas. Já as internações de pacientes com coronavírus estão em queda há oito semanas.

Em Salto, a Prefeitura informou que as aulas presenciais nos estabelecimentos de ensino, em todos os níveis, inclusive as de ensino superior, ficarão suspensas no ano de 2020. O decreto municipal foi publicado esta semana no Diário Oficial do Município.

A administração saltense diz que se baseou em pesquisa da Secretaria Municipal da Educação, realizada entre os dias 27 a 30 de agosto, junto a pais de alunos e servidores da Educação, sobre o retorno das atividades presenciais. A enquete apontou que 88,3% dos pais são contrários à retomada das aulas presenciais e aprovam as atividades de forma remota. Além disso, a Prefeitura afirma que teve pareceres emitidos pelo Conselho Municipal da Educação e Comissão Municipal de Gerenciamento da Pandemia no âmbito da Educação, bem como manifestação oficial apresentada pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo – Apeosp – subsede Salto, declarando contrariedade ao retorno presencial das atividades escolares nas escolas municipais, estaduais e instituições privadas de ensino do município.

Itu e Indaiatuba devem seguir o decreto estadual, que possibilita atividades de reforço escolar a partir deste mês nas escolas e retorno presencial dos alunos em outubro. Em Itu, está circulando na internet um abaixo-assinado de pais, professores, servidores e alunos contrários à volta presencial das aulas. Eles querem que a retomada aconteça somente quando houver uma vacina contra a covid-19.

NÚMEROS DA REGIÃO

Nesta sexta-feira, Indaiatuba e Itu tiveram mais uma morte pela covid. Em Indaiatuba, o óbito ocorreu no Haoc (Hospital Augusto de Oliveira Camargo): o paciente tinha 74 anos e estava internado desde o dia 25 de agosto.

Também foram registrados novos casos da doença na cidade: 29 nas últimas 24 horas. Sendo assim, Indaiatuba soma 6.380 confirmados desde o início da epidemia, sendo que 184 morreram, 6.164 são considerados curados ou estão em recuperação domiciliar e 32 confirmados continuam internados, três a menos que no dia anterior.

Ainda há outros 334 casos suspeitos aguardando resultado de teste. Atualmente, há 22 pessoas internadas em leito clínico e 22 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A taxa de ocupação das UTIs está em 63% no Haoc e 58% no Hospital Santa Ignês.

Itu registrou a morte de um paciente de 81 anos que estava internado em hospital da cidade. Foram ainda confirmados mais 33 casos da doença nas últimas 24 horas. Com isso, Itu soma 2.657 contaminados desde o início da pandemia, 86 óbitos e 2.421 recuperados. Há ainda 126 suspeitos aguardando resultado de exame, 13 pacientes internados em leito clínico e 12 em UTI. A taxa de ocupação das UTIs está em 87,5% no Hospital Municipal e em 50% no Hospital de Campanha.

Salto não teve mortes confirmadas, mas registrou 55 novos infectados no período de 24 horas, totalizando agora 2.190 casos confirmados desde o começo do surto de covid, sendo que 55 pessoas morreram, 2.101 se curaram, 6 seguem internados (sendo 1 em UTI) e 28 estão em isolamento domiciliar.

A cidade ainda possui 61 suspeitos que aguardam resultado de teste. Destes, 27 estão em isolamento domiciliar, 3 em internação clínica (sendo 1 em UTI) e também há 3 óbitos suspeitos da doença. A taxa de ocupação da UTI do Hospital Municipal está em 66%.

 

foto: Divulgação