Jeanny Cavalcanti: Vencedora do “Que Seja Doce”

Jeanny com o troféu do reality show

A ituana Jeanny Cavalcanti, proprietária da Dona Maria Bolacha, é a mais nova campeã do reality show Que Seja Doce, do canal a cabo GNT. A cake designer, que disputou o prêmio em dupla com sua fiel escudeira Eliana, que está há oito anos na doceria, enfrentou dois profissionais, em três etapas.

O programa – apresentado por Felipe Bronze e com Carole Crema, Roberto Strongoli e Lucas Corazza como jurados – tem o objetivo de resgatar, por meio de deliciosos doces, as memórias afetivas de família.

O episódio que contou com a participação de Jeanny foi gravado em agosto de 2019 e exibido na noite de 18 de março. Com o tema “Doces que remetem à família”, Jeanny decidiu produzir tanto quitutes já conhecidos dos clientes da Dona Maria Bolacha, como também apresentar uma novidade: o arroz doce caramelado, flor de sal e crosta de açúcar maçaricado. “Na minha gravidez tive um desejo muito grande de comer arroz doce com caramelo e meu irmão fez. É uma receita dele que me inspirei. A partir de hoje (18 de março), já está disponível na Dona Maria Bolacha”, avisa.

Os demais doces já são conhecidos dos clientes. O quindim com geleia de damasco é uma receita da avó da cake designer e tem o doce do coco com o azedinho do damasco. E a torta negra, um dos quitutes preferidos da Jeanny e também um dos mais vendidos no café, ganhou uma releitura e virou um heart cake. “Eu a escolhi por ter uma base maravilhosa, não é tão doce, tem um crocante de avelã e um pequeno toque de café para sobressair o sabor do chocolate”, explica.

Para a cake designer, o maior desafio do reality foi estar à frente de três jurados experts em doces e que corria o risco de ser criticada e não saber bem como lidar com a situação. Outro ponto que ela destaca é que jamais pensou que ficaria tão nervosa em apresentar os doces na frente das câmeras, além da questão do tempo de produção dos doces e da pressão do Felipe Bronze, apresentador da atração.

Mesmo com todos os desafios, Jeanny achou a experiência indescritível por conta de todo o profissionalismo que envolve o programa e dos detalhes envolvidos na produção. “Tinha na minha cabeça que precisava trazer o troféu para Itu, então, por mais que participar seja importante, fui para ganhar. Foi uma experiência maravilhosa e fiquei

muito feliz por uma conquista assim. Além do prêmio, toda a repercussão que a minha participação no programa teve me mostrou o quanto sou querida e, principalmente, quanto as pessoas torcem por mim e pela Dona Maria Bolacha. Todo este carinho é, sem dúvida, o maior troféu”, comemora.

texto: Aline Queiroz

foto: Juca Ferreira