A imponência das orquídeas

As orquídeas transmitem elegância em qualquer ambiente, desde uma sala de estar até consultórios, escritórios e empresas, tornando o espaço mais agradável e refinado

Elas estão presentes em praticamente todo o mundo, com diversas cores, tamanhos e formatos. São exuberantes em sua beleza e, ao contrário do que muitos pensam, são de fácil cultivo e manutenção. A estimativa é de que atualmente existam cerca de 20 mil espécies espalhadas em âmbito global, das quais mais de 2 mil pertencem ao território brasileiro, como aponta a engenheira agrônoma Ana Luisa Talavera. “Nosso país é privilegiado nesse aspecto, pelo clima predominantemente tropical e por possuir diversos biomas. Algumas espécies de orquídeas só são encontradas aqui, especialmente em regiões favoráveis, como as de matas que têm as características necessárias para o desenvolvimento destas plantas”, ensina a profissional.

Diante desta realidade, dia após dia cada vez mais pessoas têm se dedicado ao plantio destas flores consideradas tão especiais. O que se tem hoje são verdadeiros apaixonados por orquídeas, sejam leigos ou especialistas do ramo de paisagismo. Por serem extremamente ornamentais, são constantemente procuradas para dar vida aos mais variados tipos de ambientes, inclusive os domésticos. O fato de serem bastante adaptáveis colabora para este processo, mas a acessibilidade que as orquídeas ganharam no decorrer dos anos foi a grande propulsora para a expansão deste mercado. Antigamente estas plantas custavam muito caro. Atualmente há espécies com preços para todos os bolsos.

O colecionador Émerson Hulmann, que é sócio proprietário do Orquidário Salto e cultiva orquídeas desde que tinha cinco anos de idade, comenta que tempos atrás era comum que estas plantas fossem trocadas por grandes quantidades de dinheiro ou até mesmo por patrimônios de alto valor aquisitivo, como carros e casas. Com isso, se tornaram cobiçadas por toda a sociedade, que agora participa mais ativamente desta cultura, antes restrita somente a quem tinha um padrão de vida mais elevado. Basicamente, o mercado de orquídeas está dividido em dois grupos: um voltado para plantas de floricultura e outro para plantas de colecionadores.

A maior diferença é que, no primeiro, as orquídeas são produzidas em toneladas e vendidas a preços baixos para comércios da área, enquanto no segundo são produzidas plantas raras, difíceis de serem encontradas. Este último é o caso de Émerson Hulmann. Ele ainda era muito pequeno quando, sob influência de um tio já falecido, começou a se interessar por orquídeas. Desde criança já convivia com este universo, mas foi depois de adulto, já casado, que veio desenvolver seu próprio orquidário. Naquela época, cultivava de tudo. “Sendo orquídea, já estava ótimo”, comenta. Porém, com o passar dos anos, aprendendo com amigos, livros e revistas, passou a selecionar suas plantas.

“Hoje tenho aproximadamente 10 mil vasos, apenas de plantas especiais, raramente encontradas em coleções”, revela o orquidófilo. Mais do que uma paixão, o cultivo de orquídeas se tornou um negócio para Émerson. Há oito anos ele decidiu fazer cruzamentos com as plantas que já tinha em casa para perpetuar características específicas e promover a melhora das espécies. A partir de então começou a vender algumas plantas saídas desses cruzamentos. E não parou mais. O colecionador se tornou um especialista. Tanto que até possui um site com informações a respeito do assunto, através do qual troca experiências com outros orquidófilos e promove a venda de seus produtos. “Agora cultivo somente Cattleyas e Laelias, as mais importantes espécies. São exemplos as Walkerianas, Nobiliors, Leopoldis, Gutatas, Intermedias, Harisonias, Loddigesis e Lobatas, sempre nacionais e de flor média”, compartilha.

Diferente de Émerson, ainda há aqueles apaixonados por orquídeas que não vendem suas plantas por nenhum dinheiro do mundo. É o caso de Ivone Colin, que atua no ramo de paisagismo há exatamente 16 anos. Ela é proprietária de uma floricultura e comercializa orquídeas em grande escala, representando, assim, aquele outro tipo de profissional existente no mercado que citamos no início desta reportagem. Além disso, é uma colecionadora de mão cheia. “Mas não vendo nenhuma das minhas, pois foram escolhidas e algumas presenteadas, portanto tenho um grande carinho por elas”, conta. A comerciante tem cerca de cem vasos. A maioria fica em sua casa, mas outras vão para a loja porque o espaço é mais adequado para determinadas espécies.

“Sempre gostei demais de plantas em geral e a cada dia me interessava mais pelo assunto. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar com isso, passei a admirá-las ainda mais, especialmente as orquídeas, conhecendo novas espécies e admirando a perfeição destas flores”, lembra. Ivone ainda acrescenta que o que mais chama sua atenção é a beleza rara que só as orquídeas possuem. Sua maior paixão são as Vandas, por suas cores exorbitantes, principalmente a azul, que não está tão presente nas demais espécies. Para quem não conhece, esta é uma espécie diferenciada desde seu manejo até sua arquitetura, com raízes aéreas que a embelezam ainda mais. Quando questionada se este é um hobby caro, a comerciante responde que este fator só é mais relevante na aquisição das orquídeas, que possuem um valor diferenciado.

Ela e Émerson garantem que a floração destas plantas compensa qualquer investimento. E para que isso aconteça com sucesso não é preciso muito. Qualquer pessoa pode cultivar orquídeas. “Se alguém consegue cultivar outros tipos de planta, também será capaz de cultivar orquídeas. Como todas as outras, as orquídeas precisam de água, nutrientes, luz e ar. Tudo o que requerem é um pouco de entendimento e cuidado”, alerta a engenheira agrônoma Ana Paula Talavera. A especialista recomenda que, no início, é bom dar preferência para espécies mais fáceis, como a Dendrobium e Phalaenopsis, que também são facilmente encontradas. Quanto às dúvidas de manejo, condução, adubação e tratamento, é necessário buscar o acompanhamento de um profissional. Nossa região também possui a Associação dos Orquidófilos, situada em Salto. É uma boa opção para compreender melhor o assunto.

 

Orquídeas & decoração

As orquídeas transmitem elegância em qualquer ambiente, desde uma sala de estar até consultórios, escritórios e empresas, tornando o espaço mais agradável e refinado. Além de possuírem, normalmente, um grande tempo de floração, diferente da maioria das plantas, o que torna seu uso bastante viável. Não há segredos. O ideal é seguir algumas dicas básicas. “Na hora de escolher a espécie da orquídea deve se verificar qual resiste melhor ao ambiente que se deseja ornamentar com a planta. Certas espécies toleram mais calor, temperaturas de ar condicionado, cômodos fechados e escuros do que outras. Em se tratando de decoração, para aprimorar seu desenvolvimento e aumentar sua floração, é recomendado deixar a planta por um tempo em um local ventilado, cheio de claridade, preferencialmente perto de uma janela. Depois é só colocá-la novamente no lugar escolhido”, ensina a engenheira agrônoma Ana Paula Talavera.

 

reportagem de Caroline Rizzi

fotos Microfoto