Salto terá 5ª Semana Cultural da Academia de Letras

: Biblioteca de Salto sedia a abertura e o encerramento da Semana Ettore deste ano

Semana Cultural Ettore Liberalesso, realizada pela Academia Saltense de Letras, retoma eventos presenciais e exalta identidade cultural

A Academia Saltense de Letras (ASLe) realizará, de 06 a 10 de junho, sempre às 19h, a 5ª Semana Cultural Ettore Liberalesso. Depois de dois anos prejudicado pela pandemia de covid-19, o evento volta a ser totalmente presencial. Com o tema “Salto: identidade e cultura”, a grande inovação da Semana Ettore 2022 será a valorização da produção literária dos acadêmicos, com um lançamento coletivo de livros na última noite.

Com o intuito de demonstrar a riqueza cultural da cidade nos mais diversos segmentos, a programação, gratuita e aberta ao público em geral, inclui ainda palestras, espetáculos de música e dança, além de um slam, competição de poesia falada sobre questões da atualidade.

Entre as participações especiais deste ano estão: o professor e maestro Luís Roberto de Francisco; a Orquestra de Violeiros Saltenses; a Folia de Reis coordenada pelo produtor cultural Tião Ribeiro; a Faces Ocultas Cia. de Dança; o Coral Vozes Afro; o pesquisador e arte educador Chell Oliveira; o Slam Quinto Elemento; o escritor e atual secretário da Cultura de Salto, Oséas Singh Jr.; e os autores participantes do Lançamento Coletivo da ASLe: Alberto Manavello, Christina e Paulo de Tarso Liberalesso, Cynara Lenzi Veronezi, Eloy de Oliveira, Marilena Matiuzzi, Toni Tordivelli e Valter Lenzi.

PROGRAMAÇÃO

 

CULTURA CAIPIRA

06 de junho às 19h, na Biblioteca Municipal de Salto (Pç. Paula Souza, 30, Salto)

  • Cantoria da Folia de Reis – coordenado há dez anos pelo produtor cultural Tião Ribeiro, o grupo abrirá a 5ª Semana Cultural Ettore Liberalesso com uma saudação à ASLe por seu 14º aniversário de fundação.

 

  •  Palestra “A vida caipira e a música do povo paulista”, por Luís Roberto de Francisco. Ele buscará estabelecer conexões entre o fazer musical tradicional paulista e a vida do povo do Interior, a que chamamos caipira, seus hábitos cotidianos, marcados pela presença constante da viola de arame. Luís Roberto é mestre em História Social (PUC/SP), professor de História e Geografia, regente do Coral Vozes de Itu e diretor do Museu da Música – Itu.

 

  •  Apresentação da Orquestra de Violeiros Saltenses, com repertório de música sertaneja raiz: “As Andorinhas”, “Tristeza do Jeca”, “Boiadeiro Errante”, “Porta do Mundo”, “A Majestade o Sabiá”, “Cuitelinho” e “Chalana”. A orquestra existe desde 2014 e é coordenada por José Carlos Amatuzzi. Tem o propósito preservar e valorizar a identidade regional, enaltecendo a terra, a natureza e as tradições populares das culturas caipira e ribeirinha.
  •  

DANÇA

07 de junho às 19h, na Sala Palma de Ouro (R. Prudente de Moraes, 580, Salto)

  •  Espetáculo “Donos da Terra”, pela Faces Ocultas Cia. de Dança. Projeto contemplado pelo governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por meio do ProAC Editais e realização da Faces Ocultas Cia. de Dança, “Donos da Terra” é um espetáculo concebido por Arilton Assunção para destacar a importância da cultura indígena para a formação social brasileira.

 

CULTURA NEGRA

08 de junho às 19h, no Auditório Brasital do Ceunsp (Pç. Antônio Vieira Tavares, 73, Salto)

  •  Apresentação do Coral Vozes Afro, sob regência do maestro Marcos de Oliveira. Criado em 2012, por iniciativa de José Roberto Benedito, ativista e então coordenador da Igualdade Racial de Salto, o grupo vocal trabalha pelo desenvolvimento e pela divulgação da cultura afro-brasileira.

 

  • Palestra “Biografias Afro-saltenses – Histórias e memórias da população negra de Salto”, por Chell Oliveira. O palestrante pretende demonstrar que, em Salto, assim como a historiografia de maneira geral, foram apagadas das narrativas oficiais a história do povo negro, sua cultura, afetos, manifestações, religiões e tradições, para dar lugar a uma história de invisibilidade. Inspirado na obra da pesquisadora Beatriz Nascimento e seus estudos afrodiaspóricos, Chell iniciou uma intensa pesquisa para recuperar informações, fotografias, documentos e outros materiais que possam recompor e valorizar essa história. Chell Oliveira é historiador, professor, arte educador e militante do Movimento Hip Hop.

 

  •  Slam Quinto Elemento. O coletivo, criado em 2019, fará uma edição sobre a memória negra saltense. O Slam Quinto Elemento é uma competição de poesia falada que apresenta questões da atualidade com o intuito de gerar reflexões críticas. Nas apresentações de slam, o poeta é performático e só conta com o recurso de sua voz e de seu corpo.

 

CINEMA

09 de junho às 19h, na Sala Paulo Freire (R. Prudente de Moraes, 580, Salto)

  •  Palestra “Reflexões inéditas sobre a vida e obra de Anselmo Duarte”, por Oséas Singh Jr. O palestrante pretende lançar luz sobre novas ou antigas questões artístico-ideológicas em torno do único cineasta brasileiro a conquistar a Palma de Ouro no Festival de Cannes. Oséas Singh Jr. é autor do livro “Adeus cinema – Vida e obra de Anselmo Duarte, ator e cineasta mais premiado do cinema brasileiro”.

 

LITERATURA

10 de junho às 19h, na Biblioteca Municipal de Salto (Pç. Paula Souza, 30, Salto)

  • Cerimônia de posse da nova diretoria da ASLe para o biênio 2022-2024

 

  • Apresentação do Quinteto de Cordas do Conservatório, sob coordenação do professor Roberto Sanches. Formado por alunos e ex-alunos dos cursos de cordas friccionadas do Conservatório Municipal Maestro Henrique Castellari: violino, viola, cello e contrabaixo. Em homenagem ao modernismo, como parte da formação cultural brasileira, o Quinteto apresentará, entre outras, uma peça do compositor Heitor Villa-Lobos.

 

  •  Lançamento Coletivo de Livros: sessão de autógrafos e vendas no local das obras “A menina do casarão branco” (crônicas), de Eloy de Oliveira, “As batalhas da esperança” (romance), de Alberto Manavello; “Bom dia, faces! volume 3” (crônicas), de Toni Tordivelli; “E foi assim que aconteceu… Salto” (infantil), de Cynara Lenzi Veronezi; “Maçonaria – Manual do iniciado” (técnico), de Christina e Paulo de Tarso Liberalesso Filho; “Quem é quem volume 2” (biografias), de Valter Lenzi; “Sentires” (poesia), de Marilena Matiuzzi.

 

foto: Arquivo