Itu lembra 2ª Guerra em evento contra a intolerância

Estudantes ituanos acompanham o evento (foto: Gabriela Lago/Pref. Itu)

No dia 28 de abril, o auditório da Prefeitura de Itu sediou um evento alusivo ao “Dia Municipal da Lembrança”, com apresentação do documentário “Não Mais Silêncio”, com a participação de alunos da escola estadual “Professor Rogério Lázaro Toccheton”.

O “Dia Municipal da Lembrança” foi criado como forma de relembrar os horrores ocorridos durante o holocausto judeu na Segunda Guerra Mundial e tem objetivo de mobilizar o poder público e conscientizar a sociedade da importância da defesa da vida e do combate à intolerância.

O prefeito Guilherme Gazzola esteve presente e destacou a importância da data, principalmente neste ano: “Para entender a história atual é preciso saber do passado. O Dia da Lembrança traz um tema muito importante especialmente em um ano de decisões. Foi o radicalismo que construiu a história do holocausto e hoje vivemos uma situação muito angustiante no Brasil de radicalismo”.

Plínio Bernardi, secretário de Educação, participou da cerimônia e também destacou a importância da data para que o ocorrido no holocausto nunca mais aconteça no mundo. “Esse dia precisa permanecer no calendário para lembrarmos o que o ser humano é capaz e permanecer em alerta para que isso não aconteça mais”, declarou.

O secretário de Governo e da Casa Civil, Ricardo Giordani, criou a lei que instituiu o Dia Municipal da Lembrança quando foi vereador (foto: Gabriela Lago/Pref. Itu)

Também esteve presente o secretário de Governo e da Casa Civil, Ricardo Giordani, que, quando vereador, criou a lei que instituiu o “Dia Municipal da Lembrança”. Ele salientou a importância do documentário “Não Mais Silêncio” e espera que, com essa data, seja lembrado todos os anos que “somos iguais”.

SOBREVIVENTES DO HOLOCAUSTO

O documentário “Não Mais Silêncio” apresenta os horrores do holocausto por meio da memória de dez sobreviventes que vieram para o Brasil após a guerra.

O diretor do documentário, Márcio Pitliuk, compareceu e destacou a importância desse crime nunca ser esquecido, e ainda comparou o número de assassinados com a população de Itu. “Mais de 6 milhões de judeus assassinados, seria 33 vezes a população de Itu hoje”.

Ainda estiveram presentes o presidente da Câmara dos Vereadores, Manoel Monteiro; demais vereadores; secretários; diretores municipais e o representante da comunidade Israelita de Piracicaba e a Federação Israelita de São Paulo, Willian Cleverson Nuñhz Bueno.