Itu começa a vacinar crianças sem comorbidades

  • Com a liberação da CoronaVac para o público infantil, a Prefeitura de Itu começou a vacinar contra a covid-19 crianças na faixa etária de 9 a 11 anos sem comorbidade;
  • Veja o calendário da imunização em Itu

 

CoronaVac liberada para crianças

Com a aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o uso da CoronaVac na população de 6 a 17 anos, com exceção de imunossuprimidos, a Secretaria de Saúde de Itu começa, nesta sexta-feira, 21, a vacinar contra a covid-19 crianças na faixa etária de 9 a 11 anos sem comorbidades, nas Unidades Básicas de Saúde, das 7h às 17h, e no Centro de Imunização do Rancho Grande (UBS 05) e na UBS 02, no Jardim União, das 7h às 19h.

 

Esse público, assim como as crianças de 5 a 11 anos com deficiência permanente ou comorbidade considerada pelo Ministério da Saúde, também pode ser vacinado neste sábado, 22, das 8h às 14h, no Drive-thru na Praça Washington Luiz (em frente ao Estádio Municipal Dr Novelli Júnior), Vila Nova, e na Unidade Básica de Saúde 02, localizada no Jardim União.

 

Existe ainda a possibilidade de crianças de 5 a 9 anos sem comorbidade ou deficiência permanente, devidamente inscritas pelos responsáveis na “xepa da vacina” em Itu, serem vacinadas. Havendo essa possibilidade, os responsáveis serão avisados por ligação telefônica. O cadastro exclusivo para esse público pode ser feito pelo link: https://itu.sp.gov.br/xepa-vacina-criancas-5-a-11-anos/

 

Segundo a Prefeitura, para a vacinação de crianças com comorbidade ou com deficiência permanente será necessário apresentar: exames, receitas, relatório médico, prescrição médica. Vale destacar que cadastros já existentes nas UBS poderão ser utilizados. Confira a lista de comorbidades consideradas pelo Ministério da Saúde:

 

– insuficiência cardíaca

– cor-pulmonale e hipertensão pulmonar

– cardiopatia hipertensiva

– síndromes coronarianas

– valvopatias

– miocardiopatias e pericardiopatias

– doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas

– arritmias cardíacas

– cardiopatias congênitas

– próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

– talassemia

– síndrome de Down

– diabetes mellitus

– pneumopatias crônicas graves

– hipertensão arterial resistente e de artéria estágio 3

– hipertensão estágios 1 e 2 com lesão e órgão alvo

– doença cerebrovascular

– doença renal crônica

– imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)

– anemia falciforme

– obesidade mórbida

– cirrose hepática

– HIV