Estado pretende vacinar todas as crianças em 3 semanas

  • Governo do Estado tem capacidade para imunizar 250 mil crianças por dia contra a covid-19;
  • Público-alvo da campanha é de 4,3 milhões, anunciou nesta quarta, 05, o governador João Doria;
  • Escola da rede estadual devem ser usadas na campanha de vacinação

No exterior, vários países já permitem a vacinação infantil contra a covid (Shutterstock)

O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 05, que o Estado de São Paulo está pronto para iniciar a vacinação das crianças entre 5 e 11 anos de idade contra a covid-19. A capacidade de imunização estadual permite que todas as 4,3 milhões de crianças com idade entre 5 e 11 anos tomem pelo menos uma dose em, no máximo, três semanas.

“O governo de São Paulo já definiu e tem pronto o seu plano para vacinar todas as crianças do estado entre 5 e 11 anos”, declarou. “Temos a vacina infantil contra a covid-19 aprovada há quase um mês pela Anvisa. Por ações deliberadamente protelatórias, o Ministério da Saúde ainda não disponibilizou a vacina para que as crianças possam ser imunizadas”, reforçou.

A capacidade da vacinação infantil em São Paulo é de cerca de 250 mil crianças por dia, além dos jovens e adultos que já vêm sendo imunizados nos 645 municípios contra a covid-19. Há 5,2 mil locais de vacinação disponíveis em todo o Estado, número que deverá ser ampliado com postos volantes em escolas da rede estadual.

Toda a logística e infraestrutura da Secretaria de Estado da Saúde está preparada para o início imediato da campanha para proteger crianças contra o coronavírus. São Paulo aguarda o envio de imunizantes pediátricos da Pfizer por parte do Ministério da Saúde, aprovado desde 16 de dezembro pela Anvisa.

A meta de São Paulo é vacinar 4,3 milhões de crianças, com prioridade para 850 mil delas com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas. O governo do Estado também aguarda resposta da Anvisa ao novo pedido do Instituto Butantan para uso da Coronavac na imunização infantil. Há 12 milhões de doses desta vacina prontas para uso na campanha.

A Secretaria de Estado da Saúde também já adquiriu 9 milhões de seringas e agulhas que serão usadas na vacinação infantil. O Estado também iniciou a distribuição de 4,5 milhões de cartões de vacinação específicos para o público com idade entre 5 e 11 anos.

“Desde o dia 16 de dezembro, se tivéssemos iniciado a vacinação por conta do envio de doses pelo Ministério da Saúde, mais de 90% de nossas crianças já teriam recebido pelo menos uma dose”, afirmou o secretário executivo de Saúde do Estado, Eduardo Ribeiro. “É um momento de muita expectativa do governo de São Paulo pelo imediato envio de doses suficientes por parte do Ministério da Saúde.”

ESCOLAS NA VACINAÇÃO

Doria confirmou que ao menos 268 escolas de 9 municípios do Estado de São Paulo estão disponíveis para servir de postos para vacinação de alunos de 5 a 11 anos contra a covid-19. “O início do cadastramento começou hoje (quarta, 05) e de forma muito ágil a resposta tem sido oferecida pelos prefeitos dos 645 municípios do Estado de São Paulo. O objetivo é cadastrar o maior número possível de escolas estaduais para que pais e mães possam levar seus filhos para a vacinação em um ambiente de extrema confiança, onde possam se sentir bem e seguras”, disse Doria.

Os municípios que já confirmaram a presença de agentes de saúde nas unidades escolares são Caieiras, Cajamar, Campinas, Ibaté, Jundiaí, Louveira, Mairiporã, Nova Odessa e São Carlos. Outras Prefeituras que desejarem podem procurar as Diretorias de Ensino para formalizar parcerias.

“Vacinar dentro das escolas é algo que tem trazido eficiência ao longo da história. Em todos os momentos que o Brasil tem feito campanhas próximas das escolas, a eficiência sempre cresceu. São Paulo foi o primeiro estado a vacinar os profissionais da educação e vacinar também as crianças será algo fundamental para manter as escolas abertas”, afirmou o secretário de Educação, Rossieli Soares.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, em parceria com os municípios, têm realizado ações de vacinação de estudantes nas escolas, cumprindo assim um papel social nos bairros em que estão inseridas.

Em Campinas, por exemplo, em um mês de parceria com as escolas, a cobertura vacinal de um ciclo completo em adolescentes de 12 a 14 anos aumentou em 143%. Conforme boletim da Secretaria Municipal de Campinas, em 6 de dezembro de 2021 havia 11.334 adolescentes de 12 a 14 com ciclo vacinal completo. Já o boletim de 3 de janeiro de 2022 aponta que esse número aumentou para 27.589 adolescentes, um crescimento de 143%.

São Paulo foi o primeiro estado do Brasil a iniciar a vacinação de profissionais da Educação como prioridade contra a covid-19, em 10 de abril de 2021. Na rede estadual, 97% destes servidores já estão com esquema vacinal completo. Também defendida pelo governo, a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos alcançou, desde agosto, 102,7% com a primeira dose, sendo que 81,5% estão com o esquema completo.