Indaiatuba tem 3 mortes por covid, incluindo a de um bebê; Veja situação da pandemia na região

  • Óbitos ocorreram entre segunda, 11, e quarta, 13;
  • Bebê de 4 meses está entre as vítimas;
  • Governo de SP anuncia retomada obrigatória das aulas presenciais;
  • Veja situação da pandemia em Indaiatuba, Salto e Itu

Novas mortes pela doença em Indaiatuba

Indaiatuba teve 3 novas mortes por covid no período entre 09 e 13 de outubro, conforme boletim divulgado pela Secretaria de Saúde local. Uma das vítimas foi um bebê de 4 meses, que tinha Síndrome de Down e era cardiopata. Os outros óbitos foram de um homem de 73 anos e outro de 67.

No período, foram registrados 18 casos positivos e a cidade soma 32.051 desde o início da pandemia, com 793 mortes e 31.251 pessoas consideradas curadas ou em recuperação domiciliar. Os leitos clínicos estão com 35% de ocupação no Haoc e 13% no Santa Ignês. As UTIs têm 70% de leitos em uso no Haoc e 29% no Santa Ignês.

Itu não teve mortes confirmadas no período e foram diagnosticados, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, 19 infectados. Com isso, totaliza 21.357 casos confirmados, 537 óbitos e 20.787 recuperados. A Santa Casa está com 40% da Enfermaria ocupada e 50% da UTI.

Salto não divulgou novos boletins epidemiológicos. No último deles, datado de 07 de outubro, a situação era a seguinte: 15.556 contaminados desde o início da epidemia, 430 mortes e 15.126 recuperados. Na rede pública, a UTI estava com 17% de ocupação e a Enfermaria, 9%. Na Unimed, tanto a UTI quanto a Enfermaria para covid estavam vazias.

VACINA SIM!

Acompanhe os números de vacinados na região, conforme levantamento feito pela Revista Regional.

– Indaiatuba: 205.230 foram vacinados com a primeira dose; 171.468 com dose única ou segunda dose; e 7.780 com a dose de reforço;

– Itu: 143.711 receberam a primeira dose; 110.746, a segunda; 4.793, a terceira dose; e 5.159, dose única;

– Salto: 101.147 pessoas receberam a primeira dose; 71.530, a segunda ou dose única; e 2.576, a terceira.

VOLTA ÀS AULAS

O governador João Doria anunciou nesta quarta-feira, 13, a retomada obrigatória dos estudantes às aulas presenciais para as redes estadual, municipal e privada a partir de 18 de outubro. Todos os protocolos sanitários serão mantidos até o final de outubro, assim como o esquema de revezamento planejado por cada escola, de acordo com sua capacidade física.

A partir de 03 de novembro, novas mudanças passarão a ser implementadas, como a não obrigatoriedade do distanciamento de um metro e, por consequência, a descontinuidade do revezamento entre os alunos nas aulas presenciais. A medida vai ampliar o acesso e a frequência dos estudantes da educação básica à unidade escolar para 100% dos estudantes presentes simultaneamente.

Segundo Doria, a imunização de 97% dos profissionais da Educação, com esquema vacinal completo, garante maior segurança para a retomada por completo das aulas. Além disso, 90% dos adolescentes de 12 a 17 anos já tomaram a primeira dose da vacina contra a covi-19.

“A educação precisa ser prioridade da sociedade. Fizemos todos os investimentos necessários para o cumprimento dos protocolos e essa volta tem total respaldo do Comitê Científico do Estado”, destacou o secretário da Educação, Rossieli Soares.

foto: BIRF