Indaiatuba atinge 100 mil doses aplicadas; Itu também avança na vacinação; Mais 7 mortes por covid na região

Indaiatuba atinge 100 mil doses aplicadas

  • As duas cidades começam nesta quarta, 16, a vacinação do público geral, na faixa dos 50 anos;
  • Indaiatuba atinge 100 mil doses aplicadas;
  • Prefeitura de Salto segue com dados e vacinação atrasados em comparação a Itu e Indaiatuba;
  • Mais 6 mortes por covid foram registradas em Itu e 1 em Indaiatuba nas últimas 24 horas;
  • UTIs seguem em colapso;
  • Último boletim de Salto foi referente ao dia 11 de junho

A Prefeitura de Indaiatuba alcançou a marca de 100 mil doses aplicadas da vacina contra a covid-19, somando 1ª e 2ª doses, nesta terça-feira, 15. O número corresponde a 39% da população total da cidade. Depois de Itu, Indaiatuba também anunciou que avançará na campanha de imunização e começará a vacinar a população geral na faixa de 55 a 59 anos nesta quarta, 16. Na região, apenas a Prefeitura de Salto segue atrasada, tanto na divulgação dos dados da pandemia como na vacinação de sua população.

A primeira pessoa que recebeu a vacina em Indaiatuba, no dia 21 de janeiro, foi a enfermeira Vanessa Aparecida Cunha, de 42 anos. Desde então, a cidade já conta com 50.166 doses aplicadas da CoronaVac, 47.658 doses aplicadas da AstraZeneca/Oxford e 2.176 doses da Pfizer. Ao todo, 71.285 pessoas receberam a primeira dose e 28.715, a segunda. Ao contrário de outras cidades menores, como Salto, a aplicação é feita no Centro Esportivo do Trabalhador, espaço que reúne dezenas de enfermeiros para atender a população, que pode receber a vacina tanto no carro, no sistema drive-thru como a pé. A convocação para a vacinação em Indaiatuba chega para cada pessoa pelo e-mail informado no cadastro do sistema Minha Vacina ou no celular, com dia e horário, para evitar filas e aglomeração. Cada pessoa tem um QR-Code que é escaneado no momento da vacinação.

Segundo o prefeito Nilson Gaspar, o número de pessoas vacinadas traz esperança, mas ele alerta para o perigo do relaxamento das medidas restritivas por parte da população: “Nós estamos enfrentando um momento jamais presenciado em nossa região no combate à pandemia. Estamos com os leitos lotados, pessoas aguardando vagas em UTI e não podemos relaxar no uso da máscara e do álcool gel. Não podemos nos esquecer de evitar aglomerações, festas e confraternizações. A notícia das 100 mil doses aplicadas é boa, mas requer atenção dobrada para a manutenção das medidas de distanciamento social”, orienta o prefeito.

Depois de Itu anunciar o início da vacinação do público geral nesta quarta, 16, foi a vez de a Prefeitura de Indaiatuba convocar pessoas a partir de 55 anos. A aplicação será durante todo o dia, das 9h às 18h, atendendo ao agendamento de cada cidadão convocado por email. Todos os públicos chamados devem levar o QR-Code da convocação que pode ser obtido na aba do Minha Vacina no site da Prefeitura.

Salto, ao contrário de Itu e Indaiatuba, não avançou na vacinação e segue com números da semana passada. Com atraso, quando comparada com Itu e Indaiatuba, Salto está vacinando idosos e pessoas com comorbidades. Nas redes sociais, o governo saltense informou que espera receber as doses para o público geral, menores de 60 anos, para iniciar a convocação, porém as demais cidades da região já receberam e estão aplicando essas novas doses. O calendário de vacinação de Itu para o público geral, menor de 60 anos, está no site da Revista Regional; você pode conferir em: https://revistaregional.com.br/site/2021/06/14/itu-divulga-antecipacao-da-vacinacao-contra-a-covid/

Acompanhe os números de vacinados contra a covid na região, conforme levantamento feito pela Revista Regional.

– Indaiatuba: 71.663 foram vacinados com a primeira dose e 28.743 com a segunda;

– Itu: 45.814 receberam a primeira dose e 20.646, a segunda;

– Salto: 30.320 com a primeira dose e 12.838 com a segunda.

MAIS 6 MORTES EM ITU

A Secretaria Municipal de Saúde de Itu informou que foram registrados mais 6 óbitos na cidade nas últimas 24 horas: os pacientes, de ambos os sexos, tinham entre 50 e 80 anos. Também foram diagnosticados mais 184 casos positivos da doença e totaliza 16.183, com 392 óbitos e 14.414 recuperados. Há 24 suspeitos aguardando resultados, 26 pacientes em leitos clínicos e 28 em UTI. Todas as UTIs seguem lotadas. Já as Enfermarias têm taxa de ocupação de 57% no Hospital Municipal e de 65% no Hospital de Campanha.

Indaiatuba também confirmou mais 1 óbito nesta terça, 15: a paciente tinha 58 anos e estava em hospital de Campinas. A Secretaria de Saúde de Indaiatuba diagnosticou 104 casos nesta terça, 15, e há 2.602 suspeitos à espera de resultados, que continuam atrasados. Desde o início da pandemia, 23.603 pessoas contraíram a doença em Indaiatuba. Desses, 612 morreram e 22.870 são considerados curados ou estão em recuperação domiciliar.

Os hospitais seguem colapsados, inclusive as vagas extras contratadas pela Prefeitura na Grande Campinas. Segundo a Secretaria de Saúde, a cidade tem 66 doentes na fila de espera para internação, sendo 20 em estado grave precisando de UTI.

Mesmo com o colapso hospitalar, o governo de Indaiatuba descartou, nesse momento, adotar medidas mais rígidas como lockdown, a exemplo de outras cidades paulistas em situação semelhante, como na região de Ribeirão Preto.

A Prefeitura de Salto, ao contrário das demais cidades, deixou de divulgar o boletim com dados diários da pandemia, referentes aos novos casos, suspeitos e mortos por covid, assim como ocupação dos leitos hospitalares. O atraso vem desde o início da atual administração do prefeito Laerte Sonsin Junior. Os boletins divulgados têm sempre atraso de um dia referentes aos demais órgãos de saúde da região. O último boletim, nesta semana, foi enviado à imprensa na segunda, 14, mas com informações do dia 11, sexta passada.

A situação era de colapso hospitalar, sem vagas de UTI ou Enfermaria. A Prefeitura foi questionada diversas vezes sobre esse momento crítico, mas não retornou. A cidade também está com a campanha de vacinação atrasada, quando comparada a Itu e Indaiatuba, onde já foi iniciada a imunização do público geral na faixa de 55 a 59 anos. Em rede social, o governo saltense disse que espera as doses para essa faixa etária para iniciar a campanha. No entanto, as demais cidades já receberam e iniciaram a aplicação.

Com os números de sexta, dia 11, Salto totaliza 9.759 contaminados desde o início da pandemia, com 280 mortos e 9.454 recuperados.

Esta matéria foi concluída às 11h10 de quarta, 16, sem o retorno da Prefeitura de Salto.

 

foto: Leonardo Cruz RIC/PM