Sintomas da covid têm aumento de 260% nos pacientes entre 30 e 50 anos

Adultos jovens podem ter problemas cardíacos após infecção por covid-19

Já entre 20 e 30 anos, o crescimento é de 150%, aponta ABORL-CCF; O levantamento foi apresentado durante audiência pública no Senado brasileiro; Outro estudo mostra que adultos jovens podem ter problemas cardíacos a longo prazo após infecção por covid-19

De acordo com o levantamento da ABORL-CCF (Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial), de janeiro a abril, aumentou em 260% o número de pacientes entre 30 e 50 anos com covid-19 que apresentaram sintomas, enquanto nos pacientes entre 20 e 30 anos, o crescimento atingiu 150%. O dado foi apresentado durante a audiência pública no Senado brasileiro, em maio passado.

Cerca de 80% das pessoas acometidas pelo coronavírus que se curaram apresentaram sequelas da doença otorrinolaringológicas, como perda de olfato (55%), vertigem (47%), zumbido (27%) e perda de audição (15%).

As sequelas da covid-19 na população ocasiona não apenas questões sociais, mas também econômicas. “Um indivíduo acometido pela perda auditiva, por exemplo, poderá ser afastado do trabalho ou aposentado por invalidez. E o aumento de acidentes domésticos e acidentes de trabalho devido às tonturas? A ABORL-CCF avalia o aumento do número de pacientes com sequelas, o crescimento de casos de problemas trabalhistas e posterior aumento do ingresso de pacientes com sequelas de covid-19 na área previdenciária”, analisa o professor e doutor Eduardo Baptistella, presidente da ABORL-CCF.

Embora muitas vezes as crianças não tenham lesões mais graves, a perda do olfato é comum. “A perda de olfato nas crianças, devido à covid-19, merece atenção. Como elas perdem o apetite e vontade de comer, isto pode levar à desnutrição infantil e alteração do crescimento. E, em muitos casos, quando o sabor volta, está diferente. Nesses casos, precisamos dar início a um tratamento específico de terapia olfatória”, informa o especialista.

É muito importante que o paciente – seja criança ou adulto – com perda olfatória pós-covid procure um médico (de preferência um otorrinolaringologista) que está apto a prescrever o melhor tratamento para cada caso individualizado e aumentar a chance de retorno completo da capacidade de sentir aromas e sabores.

“Essa alta do número de pacientes covid-19 com sintomas é extremamente relevante e merece atenção, principalmente no quesito vacinação. Mesmo sem comorbidades, jovens e adultos contaminados podem evoluir para um estágio mais grave da doença”, analisa Dr. Baptistella.

“Essa alta do número de pacientes covid-19 com sintomas é extremamente relevante e merece atenção, principalmente no quesito vacinação. Mesmo sem comorbidades, jovens e adultos contaminados podem evoluir para um estágio mais grave da doença”, analisa Dr. Baptistella.

 

SAÚDE CARDÍACA

Outra pesquisa, esta publicada no final de abril no periódico Experimental Physiology, destacou os possíveis impactos de longo prazo da covid-19 na saúde cardíaca de adultos jovens relativamente saudáveis que não foram hospitalizados e que apresentavam apenas pequenos sintomas devido ao vírus. “O aumento da rigidez das artérias, em particular, foi encontrado nesses jovens. Isso pode afetar a saúde cardíaca e também pode ser importante para outras populações que experimentaram casos graves do vírus. O estudo destaca que esses adultos jovens e saudáveis podem ter risco aumentado de complicações cardiovasculares, que podem continuar por algum tempo após a infecção por covid-19”, explica o Dr. Juliano Burckhardt, médico cardiologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da American Heart Association. “Essa pesquisa assinala a importância de que jovens, após o tratamento e a cura dos sintomas, procurem um médico cardiologista, melhorem hábitos de vida, incluindo dieta e prática de atividade física, com o objetivo de diminuir os riscos cardiovasculares”, acrescenta.

A equipe de pesquisadores descobriu que o vírus pode ter efeitos prejudiciais para as artérias de todo o corpo, incluindo a artéria carótida que fornece sangue ao cérebro. Segundo o cardiologista, embora o SARS-CoV-2 seja caracterizado principalmente por sintomas respiratórios, vários estudos já demonstraram que, pelo forte componente inflamatório da doença, pode ocorrer alterações na função dos vasos sanguíneos entre adultos jovens, principalmente de três a quatro semanas após serem infectados com o vírus. “Isso também foi observado em adultos mais velhos, meses após a infecção”, diz o médico.

Os pesquisadores seguem acompanhando esses jovens que participam do estudo por seis meses após a infecção inicial com SARS-CoV-2 para observar se e quando a saúde arterial desses indivíduos está melhorando. “Os resultados do estudo são interessantes, visto que a sintomatologia pode melhorar, mas sua saúde arterial pode não estar se recuperando tão rapidamente, o que pode ser significativo para a saúde do coração”, diz o cardiologista.

Outras investigações devem ter como objetivo estudar uma população de pacientes mais diversificada ao longo do tempo, especialmente adultos mais velhos que são mais suscetíveis ao vírus e que podem ter condições subjacentes, como doenças cardíacas, diabetes e hipertensão. “Essas descobertas sugerem um impacto potencial de longo prazo da covid-19 em adultos jovens relativamente saudáveis que podem pensar que o vírus não os está afetando”, finaliza o médico.

foto: Divulgação