Natureza inspiradora

Algumas espécies de aves fotografadas por Arlei em Salto e região

  • Revista Regional prossegue com a série de reportagens com profissionais da região que têm na fotografia uma ferramenta de conscientização sobre a importância da fauna e da flora para o futuro do planeta;
  • Na quarta parte, apresentamos o fotógrafo e arquiteto Arlei Bertani, para quem a fotografia de natureza além de bela é instrumento de educação ambiental e luta a favor do meio ambiente

A fotografia entrou a vida do arquiteto Arlei Bertani aos 12 anos de idade, quando fotografava com a Kodak do seu irmão. Na época, tudo o que ele considerava interessante virava registro de imagem em preto e branco. Já na faculdade, a fotografia mais uma vez esteve presente e foi sua aliada à criação e desenvolvimento dos projetos.

Antes de virar fotógrafo de natureza, Arlei desenvolveu sua arte de retratar casamentos, eventos, aniversários e, aos poucos, foi adquirindo técnica e conhecimento. Foi quando em 2003, com a primeira câmera digital, uma Sony FD Mavica, começou a fotografar a natureza. “Fazia macros de insetos e flores, comprei um adaptador de lente e me aventurei a observar aves. Anos depois, conversando com um amigo, ele me explicou que eu poderia começar a catalogar as aves da cidade num site específico, o Wikiaves, e foi aí que o meu passatempo ficou sério, pois descobri que isso era fantástico e se transformou na minha paixão até hoje”, afirma.

Arlei atualmente tem 332 espécies catalogadas, entre elas, a garça-moura, bico-de-lacre, beija-flor de veste preta, entre outras, e ressalta o quanto fotografar a natureza é inspirador, pois permite descobrir lugares novos e explorar todos os tipos de formas e cores. “Isso me levou a observar as aves e elas são fantásticas na sua criação, cada uma com suas qualidades e riquezas de detalhes, a trama de suas penas e a harmonia das cores, difícil não se apaixonar por este tipo de foto. Gosto de observar seus movimentos, como se comportam, como se alimentam e cuidam de seus filhotes, um universo fantástico”.

A questão da poluição do rio Tietê faz parte dos ensaios do fotógrafo

Em 2018, no festival Interfoto, que anualmente é realizado em Itu, ele pode mostrar um pouco do seu olhar da natureza na exposição “Sobrevivência”, com imagens que denunciavam a luta pela vida das espécies animais que têm como seu habitat o rio Tietê. “Fotografando a natureza, meu olhar fotográfico passou a ser mais crítico na relação ‘homem e meio ambiente’ e passei a registrar a interferência desastrosa que nós humanos causamos a ele, principalmente referente à poluição do nosso (rio) Tietê”.

Para Arlei, a fotografia de natureza além de bela é instrumento de educação ambiental e luta a favor do meio ambiente, por isso, geralmente posta suas fotos em redes sociais para que as pessoas conheçam não apenas o seu talento, mas principalmente que fiquem mais próximas das espécies animais.

texto: Aline Queiroz

fotos: Arlei Bertani

 

VEJA GALERIA DE FOTOS