FAMA Museu traz programação online na quarentena

  • Entre as ações, estão uma série de vídeos sobre a exposição Ontologias e a campanha #MulheresFAMA com depoimentos de mulheres da equipe do museu

Com a intenção de reduzir o risco de contágio e a capacidade de alastramento do novo coronavírus, em consonância com as medidas do governo estadual sobre a mudança para fase vermelha do Plano São Paulo, o FAMA Museu e o Espaço FAMA Museu, no Plaza Shopping Itu, suspenderam as atividades presenciais até nova retomada ser anunciada pelo Estado.

Exposição no FAMA Museu, em Itu

Durante este período, o público pode conferir a programação online e gratuita com conteúdos relacionados às exposições em cartaz, o acervo do museu e bastidores. Destaque para a nova série de vídeos, disponibilizada no canal do Youtube do FAMA (https://www.youtube.com/famamuseu), sobre a mostra Ontologias, em que cada capítulo traz o depoimento de um artista da exposição sobre seu processo criativo. O primeiro, com o artista Marcos Amaro, também está disponível no Instagram e Facebook.

Ao longo de março, o museu dedica as postagens do Instagram e Facebook às artistas mulheres que fazem parte de seu acervo. Entre elas, estão: Nazareth Pacheco, Tomie Ohtake, Tarsila do Amaral e Frida Baranek. Outra ação que traz a mulher como protagonista é a #MulheresFAMA, uma campanha com depoimentos de integrantes da equipe do FAMA sobre a sua relação com o museu e suas vivências enquanto mulheres.

Vídeos de projetos educativos, exposições passadas e em cartaz também estão disponíveis nas plataformas digitais do museu, como o site specific Área de Propriedade (2020), instalação que ocupa 195 metros de extensão do FAMA Campo, desenvolvida pelo artista Carlito Carvalhosa. O público pode conhecê-la através de visita virtual no canal de Youtube da instituição.

O museu

O FAMA Museu – Fábrica de Arte Marcos Amaro está localizado em uma área de 25 mil metros quadrados, onde, no século XX, funcionou a Fábrica São Pedro, importante polo da indústria têxtil, com relevância histórica e cultural para a região. Inaugurada em 2018, a instituição abriga ateliês, ocupações, salas e áreas ao ar livre para a realização de performances, residências artísticas, exposições individuais e coletivas, com o objetivo de incentivar a criação artística contemporânea, investigar os caminhos da arte e possibilitar ao público o acesso ao acervo do colecionador e artista Marcos Amaro. A coleção reúne mais de 2 mil obras entre pinturas, desenhos, gravuras, esculturas e instalações de nomes como Portinari, Tarsila do Amaral, Nelson Leirner, Leda Catunda, Cildo Meireles, Tunga e Aleijadinho.

foto: Divulgação