Região tem dia sem mortes por covid; Estado amplia horário para comércio e restaurantes

  • Itu, Salto e Indaiatuba não registraram óbitos pela doença nas últimas 24 horas;
  • Há novos infectados e também recuperados em todas as cidades;
  • Governo do Estado anunciou nesta quarta-feira que comércio poderá funcionar oito horas por dia a partir de sexta, dia 21;
  • Municípios ganham autonomia para decidir sobre aulas presenciais nas escolas;
  • Médico de Campinas que atuava na linha de frente na pandemia, no Haoc, em Indaiatuba, morreu nesta quarta-feira, em decorrência da covid

 

Nenhuma das três cidades de cobertura da Revista Regional – Itu, Salto e Indaiatuba – teve mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com os boletins epidemiológicos divulgados pelas Prefeituras da região.

Em Indaiatuba, foram confirmados 82 novos casos positivos da doença, elevando para 5.388 o total de pessoas que já se infectaram pelo novo coronavírus na cidade desde o início da pandemia. Deste total, 150 morreram e 5.197 são considerados curados ou estão em recuperação domiciliar. Atualmente, 41 confirmados estão internados e outros 442 suspeitos aguardam os resultados dos exames. Há um óbito suspeito em investigação.

Indaiatuba possui 34 pessoas internadas em leito clínico e 25 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A taxa de ocupação das UTIs está em 79% no Haoc e 50% no Hospital Santa Ignês.

Nesta quarta-feira, o Haoc perdeu um de seus médicos que atuava na linha de frente no combate ao coronavírus: o infectologista Dr. Eduardo Fakiani Macatti morreu por complicações provocadas pela covid. Dr. Eduardo tinha 45 anos e trabalhou por 15 anos como coordenador da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do Haoc. Ele não era de Indaiatuba e estava internado em hospital de Campinas.

Salto também não teve novos óbitos nas últimas 24 horas, mas soma 38 casos positivos nesse período, totalizando 1.401 infectados desde o começo da epidemia, sendo que 41 morreram, 1.315 evoluíram para cura, 16 seguem internados (sendo 5 em UTI) e 29 estão em isolamento domiciliar. A cidade tem 86 casos que aguardam resultados. Destes, 76 estão em isolamento domiciliar, 8 em internação clínica e também há 2 óbitos suspeitos em investigação. A UTI do Hospital Municipal continua lotada há mais de uma semana. A Prefeitura informou que até este momento não precisou transferir pacientes com covid para outras cidades da região.

Em Itu, foram 48 novos infectados em 24 horas, somando agora 2.118 casos confirmados desde o início do surto, sendo que 74 morreram e 1.879 se recuperaram. A cidade tem 127 suspeitos aguardando resultados de exames. Há 15 pacientes internados em ala clínica e 12 em UTI. A cidade tem uma morte suspeita. A taxa de ocupação das UTIs está em 75% no Hospital Municipal e 50% no Hospital de Campanha.

Região tem 24 horas sem registro de óbitos por covid

MUDANÇAS NO COMÉRCIO

O vice-governador e secretário de Governo do Estado, Rodrigo Garcia, anunciou nesta quarta-feira, 19, autorização para que todas as atividades permitidas na fase amarela do Plano São Paulo possam funcionar por oito horas diárias em estabelecimentos comerciais e de serviço. Até então, eram permitidas seis horas diárias.

“Este aperfeiçoamento foi aprovado pelo Centro de Contingência. Mesmo com essa autorização feita através de decreto do Governo de São Paulo, os prefeitos têm autonomia para aplicar a medida e decidir se a mudança será adotada e em que momento deve ser adotada em suas cidades”, disse Garcia.  

A medida passa a valer a partir de sexta-feira, 21, e é válida para todos os setores, como shoppings, comércio, serviço, salões de beleza e barbearia, restaurantes e similares, academias, convenções e atividades culturais. Os empresários poderão escolher se adotam uma jornada contínua ou fracionada, respeitando o limite de oito horas diárias.

O consumo local nos restaurantes e similares continua permitido apenas em ambientes arejados ou ao ar livre, com obrigatoriedade de assentos. Não será permitido que os clientes fiquem em pé, para evitar aglomerações.

A ocupação máxima deve ser de 40% da capacidade dos assentos e o fechamento precisa ocorrer até as 22h, com adoção dos protocolos geral e específicos para o setor. Funcionários e clientes devem usar máscara em todos os ambientes, tirando apenas no momento da refeição.

Outra atualização do Plano São Paulo definiu um novo horário para atendimento presencial em restaurantes e similares na fase verde. Assim como na fase amarela (após 14 dias de permanência da região), os estabelecimentos poderão oferecer consumo local até as 22 horas também na fase quatro.  As cidades da região estão na fase amarela do Plano São Paulo.

VOLTA ÀS AULAS

O vice-governador também confirmou nesta quarta-feira que as 645 prefeituras de São Paulo terão autonomia para decidir se vão ou não acompanhar o cronograma previsto pelo Estado para o retorno presencial às aulas nas redes pública e privada. A previsão é que as escolas possam reabrir parcialmente para aulas de recuperação a partir de 8 de setembro.

“O decreto vai definir critérios objetivos para a volta opcional as aulas, lembrando também o papel e a autonomia das prefeituras, com base nas Vigilâncias Sanitárias locais, para a definição de normas mais restritivas”, explicou Garcia. “Há o compartilhamento de responsabilidade com os municípios. Desde o primeiro dia, o Plano São Paulo tem essa previsão e administração conjunta da pandemia”, acrescentou.

A Secretaria de Estado da Educação autorizou a abertura gradual das escolas nas cidades que estão na fase amarela do Plano São Paulo em duas datas distintas. A partir do dia 8 de setembro, a retomada atenderia apenas alunos com mais dificuldade de aprendizado em atividades de reforço. A retomada efetiva, mas ainda gradual e restrita do calendário letivo, é prevista para 7 de outubro.

Mas o secretário de Educação Rossieli Soares destacou que os prefeitos podem criar calendários próprios e planos mais restritivos, com base nos dados epidemiológicos regionais. Se uma eventual decisão municipal diferir do calendário proposto pelo Estado, a medida local valerá para todas as escolas públicas e privadas daquela cidade.

“Os municípios têm a possibilidade de fazer vetos por questões de saúde, mas todo o processo desenhado pelo Estado está mantido. Eles não podem autorizar a abertura das escolas antes do dia 8 de setembro”, disse. “Continuamos trabalhando em conjunto com os municípios e os protocolos anunciados nas últimas semanas”, reforçou.

CALENDÁRIO PREVISTO

Para retomar atividades presenciais a partir de 8 de setembro, as escolas devem estar em regiões que estão há 28 dias na fase amarela do Plano São Paulo. As unidades podem receber alunos para aulas de reforço, recuperação e atividades opcionais.

Nesta primeira etapa, na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, o limite máximo é de até 35% dos alunos em atividades presenciais. Para os anos finais do ensino fundamental e ensino médio, o limite máximo é de 20%.

O retorno oficial das aulas é previsto para 7 de outubro, o que só ocorrerá se 80% das regiões estiverem por 28 dias seguidos na fase amarela do Plano São Paulo. A retomada será gradual e, na primeira etapa, vai atingir até 35% dos alunos.

 

foto: BIRF