Região ultrapassa os 6 mil casos de covid; Salto e Indaiatuba tem novas mortes

  • Dados oficiais indicam mais de 6 mil casos confirmados na região, com maior número de testes e de infectados em Indaiatuba, seguida por Itu;
  • Nas últimas 24h, foram registradas mortes por covid em Salto e Indaiatuba;
  • Na região, Salto foi, pela primeira vez desde o início da pandemia, a cidade com mais casos nas últimas 24 horas;
  • No Estado, testes da vacina chinesa começam a ser aplicados em outros centros
Juntas, Itu, Salto e Indaiatuba somam mais de 6 mil casos de covid

Juntas, Itu, Salto e Indaiatuba somam mais de 6 mil casos de covid

A região de cobertura da Revista Regional, formada pelas cidades de Itu, Salto e Indaiatuba, ultrapassou a marca de 6 mil casos de covid, conforme dados oficiais divulgados pelos governos locais. O número de testes aplicados desde o começo da pandemia na população regional está abaixo do recomendado por especialistas, o que pode indicar que o índice de pessoas já contaminadas pelo coronavírus, nos últimos meses, seja ainda maior.

Indaiatuba continua sendo a cidade com maior testagem da população, o que resulta também num número maior de casos. Até esta terça-feira, 28, foram mais de 19 mil testes aplicados, com 3.927 casos confirmados, sendo 64 novos infectados nas últimas 24 horas. Deste total, 111 morreram e 3.766 pessoas são consideradas curadas ou continuam em tratamento domiciliar (o governo de Indaiatuba não divulga, ao contrário das demais cidades, o número exato de curados).

Nesta terça, a cidade registrou mais uma morte por complicações causadas pela covid. O óbito ocorreu no Haoc (Hospital Augusto de Oliveira Camargo): um paciente de 66 anos, internado desde o dia 1º, tinha hipertensão e diabetes.

O boletim epidemiológico deste dia 28 mostra ainda que Indaiatuba possui 801 casos suspeitos aguardando resultado. Atualmente há 41 pessoas internadas em leito clínico e 27 em UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A taxa de ocupação das UTIs está em 79% no Haoc e 67% no Santa Ignês.

Itu é a segunda cidade da região de cobertura da Revista Regional com maios casos. Foram 1.420 até esta terça-feira, 28, sendo 50 novos infectados nas últimas 24 horas. Destes, 52 morreram e 1.221 se curaram. A cidade tem 89 suspeitos que aguardam resultados de exames. Há 9 pacientes internados em leito clínico para covid e 15 em UTI. A taxa de ocupação das UTIs está em 75% no Hospital Municipal e em 50% no Hospital de Campanha.

Em Salto, foram 723 casos positivos desde o início da pandemia, com 68 novos infectados nas últimas 24 horas. Deste total, 28 morreram e 624 evoluíram para cura, 19 seguem internados (sendo 6 em UTI) e 52 estão em isolamento domiciliar.

Nesta terça-feira, a cidade registrou mais uma morte pela doença: um paciente de 72 anos, que estava internado no Hospital Municipal. Salto ainda tem 166 pacientes testados que aguardam resultados. Destes, 101 estão em isolamento domiciliar, 11 em internação clínica (sendo 3 em UTI) e há um óbito suspeito de covid.

ITU CANCELA RODEIO

A 14ª edição do Rodeio Itu, prevista anteriormente para ocorrer em setembro deste ano, será realizada entre os dias 3 e 11 de setembro de 2021. A medida visa garantir a saúde e a segurança do público e de todos os envolvidos no evento em meio à pandemia do novo coronavírus.

Herculano Neto, idealizador do Rodeio Itu, reforça que a decisão corrobora o zelo do evento com seu público, parceiros, fornecedores e colaboradores. Segundo ele, a decisão vai além do respeito que a organização sempre teve com seu público: é uma questão de responsabilidade social. “Entendemos que a vida das pessoas vem sempre em primeiro lugar e, neste sentido, nosso compromisso se estende para além do período e recinto do evento. Agora é hora de cuidar de quem se ama e seguir as orientações das autoridades, pois tudo isso vai passar”, enfatiza.

Neto recorda que foram feitos todos os esforços para que o festival acontecesse ainda neste ano, pensando em todos os profissionais envolvidos na organização e também na economia local que depende de eventos culturais e de lazer. Porém, a necessidade maior de isolamento social fez com que o rodeio fosse adiado para 2021 visando a segurança de todos. “Planejávamos uma nova data para este ano, em meados de novembro, mas o aumento crescente dos casos de coronavírus e a necessidade de quarentena impossibilitou a realização em 2020. Fizemos um esforço descomunal pensando não só nos 13 anos de história do rodeio, mas principalmente nas pessoas que dependem dos mais de 4 mil empregos diretos e 10 mil indiretos”, afirma.

Para 2021, a organização prepara um festival ainda maior que nos anos anteriores, com diversas novidades e grandes nomes da música. “Tem sido um período de enorme aprendizado para todos. Estamos ainda mais conectados com nosso público, trazendo diversas novidades. A edição de 2021 será uma experiência única em entretenimento, um festival de excelência, cultura e diversão. Com certeza nos reencontraremos na mais surpreendente edição do Rodeio Itu”, finaliza.

 

NOVOS TESTES DA VACINA

O governo de São Paulo começa nesta semana os testes clínicos da vacina chinesa contra o coronavírus em quatro novos centros de pesquisa. O potencial imunizante está em fase final de pesquisa por meio de uma parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica Sinovac Life Science.

A testagem coordenada pelo Butantan terá a participação de 9 mil voluntários e deve ser concluída entre o final de outubro e o início de novembro. Dos 12 centros de pesquisa selecionados no Brasil, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas e o HC (Hospital das Clínicas) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP iniciam a pesquisa nesta quinta, dia 30. No dia seguinte, é a vez da Universidade Municipal de São Caetano do Sul e do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). O Emílio Ribas e o Centro da UFMG contarão com 852 participantes cada. Já a Universidade Municipal de São Caetano do Sul terá 652 voluntários, além de outros 500 no HC de Ribeirão Preto.

O primeiro centro a testar a Coronavac em voluntários foi o HC da Faculdade de Medicina da USP, na capital, na última terça, dia 21. A terceira fase de testes no HC em São Paulo é direcionada a 890 voluntários. O início dos testes nos demais centros será anunciado nos próximos dias.

O imunizante desenvolvido pela Sinovac Life Science é um dos mais promissoras do mundo porque utiliza tecnologia já conhecida e amplamente aplicada em outras vacinas. O Instituto Butantan avalia que sua incorporação ao sistema de saúde deva ocorrer mais facilmente. O laboratório asiático já realizou testes em cerca de mil voluntários na China, nas fases 1 e 2. Antes, o modelo experimental aplicado em macacos apresentou resultados expressivos em termos de resposta imune contra o coronavírus.

A farmacêutica forneceu ao Butantan as doses da vacina para a realização de testes clínicos de fase 3 em voluntários no Brasil, com o objetivo de demonstrar sua eficácia e segurança. Caso a vacina seja aprovada, a Sinovac e o Butantan vão firmar acordo de transferência de tecnologia para produção em escala e fornecimento gratuito ao SUS. Os passos seguintes serão o registro do imunizante pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e distribuição em todo o Brasil.

Foto: BIRF

Legenda: Juntas, Itu, Salto e Indaiatuba somam mais de 6 mil casos de covid