Festival de Artes de Itu atraiu cerca de 15 mil em 80 atrações

foto: Beto Silvestre/Prefeitura Itu

O último final de semana do Festival de Artes de Itu começou na sexta-feira (19/07), com Quartetto Sentinela e Wagner Tiso

A programação ofereceu mais de 80 atrações, incluindo 17 oficinas e cinco exposições, totalmente gratuitas abrangendo áreas e segmentos diversificados da cultura e da arte não só regional, mas nacional.

 

         O 26º Festival de Artes de Itu chegou ao final no último domingo (21/07) com um balanço positivo de apresentações e espectadores. A programação ofereceu mais de 80 atrações, incluindo 17 oficinas e cinco exposições, totalmente gratuitas abrangendo áreas e segmentos diversificados da cultura e da arte não só regional, mas nacional.

         As atividades foram realizadas em áreas descentralizadas, favorecendo, desta forma um público ainda maior e beneficiando mais de 15 mil pessoas entre crianças, jovens, adultos e idosos. Para a secretária municipal de Cultura e Patrimônio Histórico, Maitê Velho, essa “foi uma edição marcante na história do festival, visto que sua realização imprimiu o resgate de um legado de mais de 25 anos, desde sua criação pelo maestro Eleazar de Carvalho”.

         O Festival teve sua abertura no dia 05 de julho, na Praça do Carmo, onde o público presente pôde prestigiar apresentações marcantes de música erudita, pintura, projeção de vídeo mapping e performances rodeadas de muita luz e cor. O cenário foi marcado pela fachada da Igreja do Carmo onde, a partir dali, o público prestigiou a história de Itu, de forma poética e inusitada.

         “Do ponto de vista institucional, a Prefeitura formou uma grande rede cooperativa, atuando de forma transversal, fazendo do Festival de Artes, um influente e substancial evento para a cultura do nosso município e de nosso país”, comenta Maitê. “A programação contemplou atrações advindas do edital, aberto para artistas de Itu e região, e as demais parcerias reforçaram a importância da rede colaborativa para o fomento da cultura. Artistas, grupos, instituições públicas e privadas, não mediram esforços para uma atuação marcante e assertiva”, conclui a secretária de Cultura.