Orquestra Sinfônica de Indaiatuba apresenta ‘Alma Brasileira’

Sinfônica de Indaiatuba durante apresentação no teatro da cidade

Apresentação ocorre dia 13 de abril, com participação do violinista Felipe Oliveira

A Secretaria Municipal de Cultura e a Associação da Orquestra de Indaiatuba promovem uma nova apresentação da Orquestra Sinfônica de Indaiatuba no Ciaei (Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba). O concerto Alma Brasileira, uma homenagem ao Movimento Armorial, acontecerá no dia 13 de abril, às 20h. O programa também contará com a participação especial do violinista indaiatubano Felipe Oliveira, que interpretará o Concertino para Violino, de César Guerra-Peixe. O evento é gratuito, com entrada controlada por ordem de chegada.

O Movimento Armorial foi lançado no início dos anos de 1970 e tinha como objetivo valorizar a cultura popular nordestina, criando uma arte brasileira erudita com raízes nas manifestações populares do país. Seu principal mentor foi o escritor Ariano Suassuna e sua influência se estende a diversas manifestações artísticas como pintura, música, literatura, cerâmica, dança, escultura, tapeçaria, arquitetura, teatro, gravura e cinema.

A música foi um importante eixo do movimento. Logo de início foi criada a Orquestra Armorial, sob liderança do violinista Cussy de Almeida e que era composta por cordas, tradicionais em toda orquestra, e por um grupo de instrumentos que visavam imitar os grupos típicos populares: flautas (como pífanos), percussão (zabumba, triângulo) e a viola nordestina. Dessa mistura única de timbres dos instrumentos chamados “eruditos” com outros populares vem a música chamada Armorial.

 

Inspiração

A inspiração popular fica clara já pelos títulos das peças que muitas vezes fazem referência a elementos típicos da paisagem nordestina. Aboio, de Cussy de Almeida, se baseia no canto típico do vaqueiro, assim como Mandacaru, de Benny Wolkoff e Henrique Annes, uma alusão clara à planta símbolo do sertão. Já Galope de Cavalhada e Chamada nº 2 fazem referência às cantorias e festas, sendo o galope um tipo de desafio de violeiros e as chamadas uma espécie de entrada para festas. A literatura regional também está presente com Sem LeiNem Rei, peça inspirada no livro de mesmo nome do escritor pernambucano Maximiano Campos, e que tem como mote as lutas entre cangaceiros e coronéis no sertão.

Já o Concertino para Violino e Orquestra de Guerra-Peixe foi escrito para a Orquestra Armorial e dedicada ao violinista Cussy de Almeida. A influência de Guerra-Peixe sobre os compositores que formaram o Movimento Armorial foi enorme, a começar pelo fato dele ter sido professor de grande parte desses compositores no período em que esteve em Recife pesquisando a música popular nordestina nos anos de 1950.

 

MAIS:

Alma Brasileira, com a Orquestra Sinfônica de Indaiatuba

Solista: Felipe Oliveira (violino)

Dia: 13 de abril

Horário: 20h

Local: Sala Acrísio de Camargo, no Ciaei

Endereço: av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 3.665, Jardim Regina, Indaiatuba

Entrada gratuita e por ordem de chegada

 

Foto: DivulgaçãoV