Plínio Bernardi Júnior: os desafios da gestão pública

Plínio Bernardi Jr., atual secretário de Planejamento de Itu, e professor da FGV

Atual secretário de Planejamento de Itu, Plínio é doutor em Administração pela Fundação Getúlio Vargas e graduado em Economia. Seu norte no plano de governo é: “Itu, cidade inteligente, sustentável e humana”

Doutor em Administração pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), o atual secretário de Planejamento de Itu, Plínio Bernardi Júnior, é graduado em Economia há mais de 20 anos. Professor, também na FGV, Plínio tem ampla experiência como consultor da área pública, mas é a primeira vez que atua diretamente numa gestão dessa natureza.

Sua vida profissional teve início na Engenharia, faculdade que começou aos 17 anos e acabou deixando por não se enxergar na profissão. Mas ali já percebeu que os números eram sua paixão e entrou para a faculdade de Economia. “Administração de empresas é muito apaixonante, mas Economia é da porta para fora da empresa e como envolve muita Matemática, pensei que não jogaria fora o que já tinha estudado em Engenharia. Logo que terminei Economia, veio o Plano Real e o dólar estava menos de um Real. Vendi um Uno que eu tinha e fui estudar fora”, explica sua trajetória. O secretário cursou Finanças na Califórnia e quando retornou ao Brasil percebeu que gostava de estudar, que tinha nascido professor e seguiu esse caminho. “Eu vi que precisava canalizar minha carreira nessa área e me apliquei para o mestrado profissionalizante da GV. Até hoje eu acho que eles erraram e eu passei”, brinca Plínio.

Com o tempo, o economista passou a prestar consultoria para empresas, na área de Finanças. Ele realizava estudo de viabilidade técnico econômica para parceria público-privada e assim teve início seu contato com a área pública. “Prestei consultoria para o governo do Estado e vários municípios. Adentrei a área pública prestando serviços”, explica.

O convite para participar do atual governo veio em 2015, quando o atual prefeito Guilherme Gazzola, então candidato, chamou Plínio para ajudar a produzir o plano de governo. Na época, Plínio já estava envolvido na pesquisa de Cidades Inteligentes: “O plano de governo foi constituído a muitas mãos, mas o norte que eu tinha pra colaborar era em cima disso: Itu, cidade inteligente, sustentável e humana. Então, todas as ideias foram penduradas embaixo desse grande guarda-chuva. Quando ele foi eleito, ele me convidou a fazer parte da gestão. Eu não tinha intenção de trabalhar no setor público, mas ele me convidou e eu tive vontade de tentar”, conta o atual secretário.

Hoje, Plínio se divide entre a Prefeitura de Itu e sua vida acadêmica na FGV, com menos aulas do que antes, mas fazendo uma ponte entre as duas áreas que está atuando. Ele revela que todas as decisões da Prefeitura passam pela Secretaria de Planejamento e que é muito interessante perceber o impacto na vida das pessoas, as decisões tomadas dentro da Secretaria. “Se por um lado é muito prazeroso, por outro é muita responsabilidade. Difícil alguma decisão da cidade que não passe pelo Planejamento, então, eu acabo sabendo de tudo e estou muito feliz aqui”, finaliza.

texto e foto: Gisele Scaravelli