Ana Hickmann especial

Ana Hickmann em ensaio verão 2019

Modelo, apresentadora e empresária, Ana apresenta ensaio da moda verão 2019; nesta entrevista, ela fala sobre fé, ações sociais e família

Ana Hickmann é uma mulher completa! Inspirada pela mãe, traçou o próprio caminho e hoje colhe os frutos, mas acima de tudo experiências que vão surgindo, tornando-a uma pessoa cada vez melhor, mas não só para si, mas para todos que a rodeiam. Com carreira de modelo, apresentadora e empresária, ela percebe a importância da fé em sua vida e o quanto conversar com Deus é libertador. “Ele nunca vai te julgar, pelo contrário, vai te colocar pra cima. Eu busco a minha força Nele. Eu já tive diversas provas que ele está comigo. É meu confidente, é com quem eu falo todos os dias de manhã, à tarde e à noite, e peço sempre sabedoria pra tomar as minhas decisões”, diz ela. Leve e de bem com a vida, Ana está sempre em busca de novos desafios, e recentemente abriu o Instituto Ana Hickmann, uma escola profissionalizante na área de beleza, fotografia e moda sustentável. “Quando você está falando de um país complicado como o Brasil, porque afinal de contas tem muita coisa acontecendo, a primeira situação é conhecer o que você faz ou gostaria de fazer. Se você não tem conhecimento, vá buscar informação pra entender melhor o mercado, porque até para os grandes empreendedores está difícil. É necessário levar muito a sério tudo aquilo que você faz. Pode até não dar 100% certo, mas a chance de errar é muito menor”, afirma. E apesar do ritmo frenético, nas horas vagas ela repõe as energias em Itu, cidade onde encontra sossego, paz e tranquilidade. “Eu adoro a cidade de Itu, a região é maravilhosa, primeiro porque tem qualidade de vida, é uma cidade tranquila, as pessoas são incríveis, têm tudo o que eu gosto. Sou interiorana e voltar pra lá é muito bom, é muito gostoso”.

REVISTA REGIONAL: Mais um ano se passou e muita coisa aconteceu, mas diante de tudo que você viveu até aqui, qual a importância da fé na sua vida?

ANA HICKMANN: A importância da fé é acreditar em Deus, é falar com Ele porque é o seu melhor amigo, é uma pessoa que nunca vai te julgar, pelo contrário, vai te colocar pra cima. Você acreditar em Deus é muito importante. Eu busco a minha força Nele. Eu já tive diversas provas que Ele está comigo. É meu confidente, é com quem eu falo todos os dias de manhã, à tarde e à noite, e peço sempre sabedoria pra tomar as minhas decisões. Eu não sou uma pessoa que tem o hábito de ir à igreja. Mas esse ano aproveitei para ir a Israel e tive a oportunidade de conhecer, a chance de cumprir uma promessa que eu havia feito para a minha avó, que por coincidência durante a minha viagem acabou falecendo, que era conhecer o rio Jordão. Quando eu era criança, na época da catequese, todo mundo falava muito sobre o batismo de Jesus Cristo, e eu sempre quis conhecer e passar por ali. Algumas pessoas disseram que eu havia me convertido, não! Foi um momento de poder estar mais perto de um local que eu tenho certeza de que Jesus Cristo passou. Eu queria viver essa experiência! Para mim, era muito importante. Quando acordo de manhã, onde eu estiver, seja no meu escritório, em casa, viajando, converso com Deus. Eu rezo. Você não precisar estar em um lugar específico pra se conectar com Deus. O mais importante é como você faz e com que frequência e verdade.

Essa experiência em Israel deve ter sido maravilhosa, de que outras maneiras você aproveitou o lugar?

Eu conheci Israel diferente de tudo que todo mundo fala do roteiro religioso. É um país pequenininho, mas que tem muitos atributos maravilhosos e nessa parte da tecnologia, da aventura, do turismo, da história da cultura o que me encantou de verdade foi o fato das pessoas respeitarem suas escolhas, por exemplo, em Tela Vivi tem a maior parada gay da Ásia. Surpresa pra mim, eu não sabia. Dentro do mesmo país em que as pessoas falam que tem guerra, e infelizmente faz parte daquela região toda, dentro de Israel tem mulçumano, cristão, judeu, árabe, beduíno e todo mundo convivendo em uma mesma área, respeitando a cultura, sua forma de pensar, de falar, de comer e está tudo certo. Se você faz sua parte, eu faço a minha. Se você é desse jeito, eu sou de outro e está tudo bem, convivemos numa boa. Esse respeito é muito bacana. Eu queria encontrar isso aqui. A partir daí você consegue diminuir a questão da desigualdade. Quando as pessoas se respeitam e começam a enxergar o próximo como elas se enxergam, o mundo fica melhor.

Sobre fazer orações você tem algum ritual ou uma reza específica e até mesmo uma passagem da bíblica que você mais gosta ler?

Eu não tenho nenhum ritual, durante as orações gosto de falar com as minhas próprias palavras o que sinto. Eu leio alguns textos da bíblia, mas não sou uma pessoa que necessariamente lê o tempo todo, mas gosto muito de história, adoro, sempre foi uma das minhas matérias favoritas, talvez por isso acabo trazendo para o meu trabalho, porque tem uma história. Costumo fazer uma oração com o meu filho (Alexandre) do anjo da guarda: Santo Anjo do Senhor. Toda noite a gente reza, mas agora ele está aprendendo a oração do Pai Nosso. Ele tem um pouco de preguiça, está numa fase de curiosidade, então quando não é assunto de trabalho, tem a ver com o que ele está interessado e atualmente é a vida dos animais no mar, principalmente as baleias. Pensa numa criança de quatro anos que não assiste desenho, só documentário? Jonas e a Baleia ele sabe de cor e salteado e tem várias histórias. Ele fica perguntando se a baleia é malvada, ele gosta de biologia, de espécie, de tamanho, tem horas que começa a falar que eu preciso ficar mais atenta pra acompanhar. Se ele será biólogo eu não sei, mas que é apaixonado pelos animais ele é.

Em meio ao ano conturbado que todos nós tivemos, e com todas as mudanças que estão por vir, que mensagem você gostaria de passar para as pessoas que estão desmotivadas e tenham perdido a fé?

O que eu mais tenho ouvido das pessoas, é que não acreditam mais que possa dar certo. Dificuldades nós vamos encontrar, sempre. Do dia em que nascemos até o dia em que fechamos os nossos olhos. Crise! Que geração não viveu uma crise? Não podemos desistir! Nós precisamos aprender a se gostar e buscar força e energia pra fazer acontecer. Nós temos que acreditar em nossos sonhos porque faz bem e nos faz ter um motivo para acordar todos os dias. Sonhar não é ruim. Não! Sonhe muito porque hoje em dia faz você chegar muito longe!

Você tem alguém que te inspira a seguir esse caminho de luz?

O meu mestre inspirador com certeza é Deus e a minha musa é a minha mãe (Reni Saath) que me mostrou que nós não temos idade pra começar, recomeçar, estudar. Minha mãe depois de ter tido quatro filhos, casou novamente, voltou a estudar, não tinha terminado o segundo grau, fez

supletivo, se formou, mestrado, doutorado e hoje é professora universitária. É uma mulher que não parou, tem rodinha nos pés. Ela é meu grande exemplo porque nós temos que lutar por aquilo que acreditamos, mesmo quando o mundo diz pra você que não vai dar certo, que você é louca. Não, você não é louca. Vá atrás dos seus sonhos.

Em que momento você se sente em paz consigo mesma?

Estar na minha casa é a melhor coisa do mundo porque é quando estou com a minha família, com o meu marido, com o meu filho, quando estou com as pessoas que me fazem me sentir feliz. É o lugar que eu mais amo na vida. Pra mim isso é o mais importante.

Você mora em São Paulo, mas tem um cantinho todo especial em Itu…

Eu adoro a cidade de Itu, a região é maravilhosa, primeiro porque tem qualidade de vida, é uma cidade tranquila, as pessoas são incríveis, têm tudo o que eu gosto. Sou interiorana e voltar pra lá é muito bom, é muito gostoso.

Além de modelo e apresentadora você também é dona de algumas empresas como, por exemplo, o Instituto Ana Hickmann que você abriu faz pouco tempo. Diante do cenário econômico, o que você acredita que falta para o brasileiro?

Na maioria falta oportunidade com certeza, mas alguém mostrar pra essas pessoas que não adianta esperar pelo governo porque eles não irão fazer por nós. E cada dia que passa percebemos cada vez mais. Nós podemos sim, contribuir pagando impostos, apesar de estar difícil com a conta de luz que sobe. Nós precisamos começar a mudar dentro de casa, mas não é apontando o outro, olhe pra dentro de casa e veja o que a sua família precisa. Conhecimento e respeito! As pessoas precisam se respeitar mais, respeitar suas escolhas, mas conhecimento é o que está faltando. E quando você tem uma oportunidade na vida, não deixe passar. Bora arregaçar as mangas e aprender alguma coisa, e pra você ser um bom profissional, precisa ter conhecimento, precisa da parte técnica pra saber como lidar. Outro dia me perguntaram uma dica de empreendedorismo. Quando você está falando de um país complicado como o Brasil, porque afinal de contas tem muita coisa acontecendo, a primeira situação é conhecer aquilo que você faz ou gostaria de fazer. Se você não tem conhecimento, vá buscar informação para entender melhor o mercado, porque até para os grandes empreendedores está difícil. É necessário levar muito à sério tudo aquilo que você faz. Até pode não dar 100% certo, mas a chance de errar é muito menor.

Em relação ao Instituto como funciona esse projeto?

A minha meta com o Instituto, é uma proposta educacional pedagógica, para dar oportunidade as pessoas de conhecerem e aprenderem uma nova profissão. Assim como eu tive a chance de aprender várias profissões, porque alguém me ensinou ao longo da vida por necessidade, eu quero ajudar outras pessoas. O ensino será inovador, rápido e diferenciado. Contaremos com diversos tipos de profissões, as quais fiz questão que constassem em nossa grade desde o início do Instituto, mas ao longo do tempo, pretendo incluir novas profissões. Meu objetivo é ajudar a sociedade a colocar novas pessoas no mercado de trabalho, bem como ajudar aqueles que estão fora, a se recolocarem em uma nova profissão e assim terem uma nova expectativa de vida. Sei muito bem que muitas vezes a situação financeira do aluno não é boa e por isso introduzi o programa de bolsas, dentro dos cursos. Os cursos terão um preço justo e um ensino direto, atual,

rápido, objetivo, avançado e certeiro. Educação e trabalho! Esse é meu grande sonho e meu objetivo!

Ao longo desses anos trabalhando como empresária você já se envolveu com algum projeto que acreditava ser possível, mas que deu errado? Como lidar com a frustração quando isso acontece?

Eu já errei muitas vezes, comecei negócios e produtos que com o passar do tempo, fui percebendo que não era bacana, ou porque o produto não era assertivo ou o parceiro não era legal, ou eu também me equivoquei achando que o público feminino fosse querer ver e no final das contas não era. Todo mundo pode errar! Desistir é um grande defeito. Persistir, levantar e começar de novo é uma grande virtude. Correr atrás, insistir, trabalhar e não ter medo de ousar, mesmo! As pessoas dizem que nem sempre dá certo, mas elas precisam parar pra pensar porque não dá certo. Ela realmente tentou o suficiente? O “não” você já tem, então vai em busca do sim.

Vivemos numa era de muitas mudanças no país, e diante de tudo que vem acontecendo você acredita que o país se revelou conservador?

Eu não acho que o Brasil seja conservador, aliás, não há palavra para defini-lo. Você tem os conservadores, os extremistas e a turma da libertinagem, são muitas pessoas e como o país é muito grande se você pensar em Israel, por exemplo, vai de uma ponta a outra em sete horas, de norte a sul, de leste a oeste em três e meia. É bem pequeninho. O Brasil por ser um país muito grande, tem sua diversidade e está faltando uma palavra para defini-lo. Nós temos muito de tudo, mas ninguém se fala, ninguém se entende, é isso que está faltando, as pessoas se compreenderem um pouco mais.

Você construiu uma carreira de muito sucesso, mas nem tudo foi fácil, foram muitos anos de dedicação. Já trabalhou como modelo, hoje é apresentadora e empresária. O que lhe passa pela cabeça quando você olha pra trás e vê todo esse caminho percorrido?

Eu comecei a trabalhar como empresária antes de trabalhar na televisão, foi em 2002. Quando olho, às vezes nem acredito que fiz tanta coisa, mas ao mesmo tempo fico muito orgulhosa e sou muito feliz por ter conseguido concretizar. A Record me deu a chance de poder aprender uma nova profissão, por isso, digo que as pessoas precisam aproveitar as oportunidades, às vezes ela aparece e não percebemos e deixamos passar. De certa forma, todas as áreas que eu acabei atuando, televisão, redes sociais, moda e agora como youtuber, tudo me trouxe uma bagagem. O programa “Hoje Em Dia” é maravilhoso. Fiz parte de diversas formações e formatos do mesmo programa, a cada ano ele se reinventa com novas ideias e histórias. Estou curtindo muito esse momento, e me surpreendendo que é participar um pouco mais do jornalismo e do rádio news, estamos experimentando. O César (Filho, jornalista) e o Bruno (Gomes) meu diretor estão me dando esse espaço. Eu não pretendo levar o rádio news adiante porque é complicado, tem muita notícia ruim. Eu só queria fazer um programa com notícias boas, mas infelizmente não tem como, nós temos que dar notícia sobre o que está acontecendo de fato.

Diante de tantas qualificações você se considera uma mulher empoderada?

Todas nós mulheres somos empoderadas, independente da área que atuamos. Nós trabalhamos muito e a partir do momento que fazemos aquilo que amamos, com consciência, com vontade,

com orgulho, aí sim você pode dizer que é uma mulher empoderada. Eu me sinto sim, empoderada.

foto: Divulgação