Pantanal, um santuário no coração do Brasil

Inúmeras espécies de animais convivem juntas num dos maiores santuários ecológicos de nosso planeta

Um dos lugares mais belos do planeta, o Pantanal é destino certo para quem ama a natureza

O Pantanal é, sem dúvida, um dos lugares mais belos do Brasil. Localizado na bacia do rio Paraguai, ao norte está cercado pelas serras dos Parecis, Azul e do Roncador, a leste pela serra de Maracajú, ao sul pela serra da Bodoquena e a oeste pelos charcos paraguaio e boliviano. O Pantanal abrange 12 municípios de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, estendendo-se pela Bolívia e Paraguai. Mas seu maior território encontra-se mesmo no Mato Grosso do Sul, conhecido como Pantanal Sul e tem como porta de entrada a cidade de Corumbá.

A sua localização faz com que grande parte do território se transforme em descampados ou grandes lagoas durante boa parte do ano. A grande diversidade da fauna é um dos seus grandes atrativos, seja ela aquática (jacarés, peixes…), terrestre (capivaras, antas, cervos-do-pantanal) ou aérea (garça, ararinha-azul, tuiuiú).

Muitos visitam o local para pescaria, outros para descanso e até mesmo para aventuras pelos inúmeros cenários para trilhas e safáris ecológicos. Eu, como bom pescador (pesca esportiva e não predatória), não fico sem visitar o Pantanal durante o ano.

Para quem adora aventura, existem inúmeras trilhas para serem feitas, passando pelas mais diversas paisagens: capões, cerrados e banhados. Em geral, os hotéis-fazenda organizam trilhas auto-guiadas dentro da sua própria área. Já para quem prefere o safári ecológico, existem alguns programados para conhecer melhor o território e garantir maravilhosas fotos. Utilizando um veículo aberto, o viajante pode ir até regiões mais distantes para fotografar e filmar os animais da região. Na época de estiagem, esses passeios tornam-se muito mais acessíveis.

Mas o melhor meio de locomoção para explorar o Pantanal com suas áreas alagadas é mesmo o cavalo. Não existem trilhas definidas para as cavalgadas, mas há um programa de acompanhamento dos peões pantaneiros. O turista observa o trabalho rotineiro dos peões enquanto conduz o gado. Para as cavalgadas, é essencial vestir calça comprida, meias, chapéu, calçado fechado e usar repelente.

Agora, quem como eu, ama a pesca esportiva, é preciso saber que ela é permitida fora do parque. Sua rede fluvial (bacia do rio Paraguai) é a maior da região e garante uma diversidade e quantidade enorme de peixes. Durante a piracema (de novembro a janeiro) a pesca é proibida. Os principais rios são os Aquidauana, Mirnda, Negros e Abobral e Paraguai, Nabileque e Aquidaban. É necessário retirar a licença nacional de pesca, feita em qualquer escritório do Ibama.

O parque

O Parque Nacional do Pantanal foi criado em 1981 e possui 135 mil hectares do Pantanal. O lugar conta com um ecossistema muito rico, onde se encontra uma das maiores concentrações de fauna selvagem do planeta.

Como o parque não é aberto para visitantes, a opção é se hospedar em uma das inúmeras fazendas, conhecendo o cotidiano da região. As atividades mais comuns para os visitantes do Pantanal são: focagem noturna de jacarés, trekkings com guias, cavalgadas, safári fotográfico, observação de pássaros e passeios de barco. Outra maneira bastante utilizada pelos ecoturistas é o acampamento no meio do mato. Mas vale lembrar que quem quiser visitar o Pantanal deve tomar algumas vacinas antes de desembarcar.

Tito Vicente Garcia escreveu este texto especialmente para esta seção da Revista Regional.

fotos: Álbum particular

CONFIRA A GALERIA DE FOTOS DA VIAGEM

site-pantanal-10

Picture 1 of 13