Envolvendo os trabalhadores em ações sustentáveis

“Diante de um mercado em que a ‘Economia Verde’ e as boas práticas de sustentabilidade ganham importância na decisão dos consumidores, parecer ‘verde’ é cada vez mais importante”

São diversas as empresas que usam as datas comemorativas ambientais para destacar suas referências ambientais e inspirar seus trabalhadores a adotarem um comportamento ambientalmente amigável. Workshops, eventos de limpeza comunitária, campanhas com o objetivo de economizar energia elétrica ou a água são os principais temas. Segue abaixo, alguns dos diversos exemplos no mundo e outros mais próximos, em nossa região:

 A Consultoria Accenture – por meio do Eco Challenge, incentiva a calcular e reduzir suas emissões pessoais de Gases do Efeito Estufa (GEEs). Como incentivo para atrair seus funcionários para o Eco Challenge, a empresa recompensará doções ambientais e sessões de educação ambiental às equipes com maior participação e o maior número de ações em redução de carbono por empregado.

A DHL – lançou o evento ‘My Green Day’ para estimular os trabalhadores a reduzirem seu impacto ambiental, incluindo desligar luzes do escritório por uma hora. Além disso, realizam plantios de árvores e projetos de jardinagem, entre as 40 atividades-extras em diversas plantas agrícolas da Anheuser-Busch. A empresa conseguiu um corte no consumo de eletricidade, redução do consumo de água e no consumo de combustíveis, o que, somando com outros fatores, colaborou para diminuir suas GEEs em até 10%.

A Alcan Packaging, unidade da Rio Tinto Alcan, lançou uma campanha interna chamada SustainabilityMoments (Momentos Sustentáveis) para educar seus empregados sobre questões ambientais e sociais, por meio de jogos, competições, plantio de árvores, entre outras atividades.

Coca-Cola Brasil – compromisso com a sustentabilidade por meio de programas como o “Água Limpa” em que as fábricas de Coca-Cola devolvem ao meio ambiente a água utilizada na produção em melhores condições do que quando foi captada. Algumas fábricas possuem lagos com peixes na saída de suas estações de tratamento de efluentes (ETE). A implementação de projetos de minimização do consumo de água nos processos fabris, reduzindo o desperdício e preservando as reservas naturais, o “Reciclou, Ganhou” e experiências com biodiesel em caminhões e co-geração de energia com gás natural são outros exemplos.

Fundação O Boticário – Lançou um vídeo sobre mudanças climáticas, usando a linguagem da animação para explicar conceitos básicos sobre causas e efeitos das mudanças climáticas e mostra a importância de uma nova atitude na sociedade para evitar que esse problema se torne ainda mais grave. Os princípios e práticas relacionadas à sustentabilidade estão incorporados na estratégia global da empresa.

Natura – Está patrocinando um projeto do Jardim Botânico do Rio de Janeiro de grande importância para a biodiversidade: o Banco de DNA de Espécies da Flora Brasileira. É uma nova abordagem para a preservação da memória genética das espécies que pode ser explorada hoje, ou futuramente, para a identificação de novos genes. Este projeto é pioneiro na América Latina e já conta com mais de 2.500 amostras, de cerca de 33 famílias botânicas. Com o patrocínio da Natura, terá um incremento de 2 mil novas amostras de espécies da nossa flora.

Avon – A Avon tem trabalhado pela redução dos impactos ambientais, buscando fornecedores idôneos, estimulando o aproveitamento de resíduos na manufatura (80% do material descartado é reciclado e 20% é destinado à completa incineração e aterro, nos quais até os gases são resgatados e tratados, entre outros). Uma das metas é a diminuição nas rotas das entregas de produtos em até 1 milhão de quilômetros, que deve reduzir em grande medida os gases emitidos na atmosfera.

Schincariol – Do total de água consumida – principal matéria-prima – aproximadamente 37% provêm de recursos superficiais e 67% vêm de fontes próprias, e toda a água utilizada é tratada dentro da empresa. Em Horizonte (CE), (projeto Fluid Brasil), com reutilização, reaproveitamento, mapeamento no reuso de chuvas com corte de consumo e desperdício, além de uso de efluentes tratados, gerando a queda no consumo. Outros projetos são voltados à capacitação de professores, apoio a cooperativas de catadores de resíduos e recicladores, oficinas de reciclagem e integração de pessoas com deficiência. Para preservar e manter o equilíbrio ambiental para o futuro, em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, inaugurou o Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica em Itu (SP). Instalado em uma antiga fazenda de café, o projeto tem como objetivo principal recompor a vegetação de Mata Atlântica a partir da restauração de áreas degradadas. O Centro visa restaurar áreas degradadas através do plantio com espécies características do bioma da região, cabreúva, ipê- verde entre outras.

Starret – Preocupação ambiental fez a empresa buscar alternativa para descarte de lâmpadas fluorescentes, utilizando serviços da Naturalis Brasil, empresa que realiza a Operação Papa Lâmpadas®, por meio de uma máquina que separa o mercúrio do vidro, permitindo o descarte e reciclagem dos resíduos gerados. O descarte é feito na empresa contratante, pois o Papa Lâmpadas® é móvel, o que exclui qualquer risco de quebra das lâmpadas durante o transporte, garantindo assim 100% de segurança à saúde e ao meio ambiente.

PepsiCo do Brasil – Fabricante dos produtos das marcas Elma Chips®, Pepsi®,  Coqueiro® e  Quaker®, entre outras, lança projeto em sustentabilidade ambiental para reduzir consumo de energia elétrica e preservar o planeta. O Projeto IT Verde adota medidas simples, inovadoras e com significativo impacto na redução do uso de energia elétrica na operação brasileira. A reestruturação dos datacenters gerou economia de energia e água. Também foram trocados os monitores tradicionais por monitores de LCD, proporcionando maior economia de energia. Programação de impressoras com processo push printing (usuário manda imprimir e depois coloca senha na máquina para liberar impressão, evitando o desperdício de impressões).

Eucatex – O Manejo Florestal tem como objetivo garantir a produção sustentável de madeira para fins de abastecimento das suas unidades, prezando pelo uso racional dos recursos florestais, pela conservação dos ecossistemas naturais, pelo respeito e qualidade de vida dos colaboradores e pela sustentabilidade do negócio florestal no curto, médio e longo prazos. Com o PEA, Programa de Educação Ambiental, denominado “Casa da Natureza com o objetivo de ser mais próxima do meio onde está instalada, a Eucatex desenvolve diversas ações sociais para integrar e apoiar o desenvolvimento de comunidades vizinhas, priorizando o atendimento a ONGs que atendem crianças e adolescentes. Outro exemplo é o Programa de Reciclagem reaproveitamento de resíduos de madeira, reduzindo a poluição no meio ambiente, o qual utiliza resíduos de madeira na geração de energia e tem como objetivos a utilização de biomassa (fonte de energia renovável) na geração de energia. Apresenta programas de responsabilidade ambiental (conscientização junto aos parceiros, que deixam de descartar os resíduos nos aterros e terrenos baldios) e de responsabilidade social (parcerias com cooperativas e com a Apae, que recebem benefícios de acordo com o volume arrecadado).

Treibacher Schleifmittel Brasil – Desenvolve iniciativas de apoio à educação, como o exemplo da unidade de Salto, na Escola Prof. A.A. Gurgel, com a Horta Empresa Escola e o Projeto Reciclando e Aquecendo com Economia, elaboração de um aquecedor de água com material reciclado juntamente com os alunos. Também mantém parceria com o Sesi, Programa Leão Amigo (permite que as empresas/pessoas físicas destinem parte de seus impostos de renda, voluntariamente, à criança e ao adolescente), os funcionários participam realizando doações efetuadas para o “Fundo Municipal da Criança e do Adolescente de Salto”, para abatimento no pagamento do I.R. Arrecadação de Leite junto a festa junina da empresa para doação às entidades carentes da cidade, Café no Lar Frederico Ozanam preparado e levado por funcionários voluntários, entre outros programas.

Não tão nobre

Mas nem todo programa tem objetivos tão nobres, são os casos de Greenwashing.  Com a sustentabilidade em alta, o marketing verde traz tanto consequências positivas quanto novas formas de manipular informação em favor próprio. O greenwashing refere-se à manipulação de alguma informação de forma a favorecer a imagem da empresa, geralmente com relação ao meio ambiente.

Inclui informações enganosas, o ato malicioso de aumentar a importância de fatos irrelevantes e disfarçar uma fraca atuação ambiental, diante de um mercado em que a ‘Economia Verde’ e as boas práticas de sustentabilidade ganham importância na decisão dos consumidores, enfim, parecer ‘verde’ é cada vez mais importante.

 

 Cátia Guillardi é Administradora formada pela PUC, Especialista em RH pela Fecap, Especialista em Didática no Ensino Superior pelo Mackenzie e Mestre em Administração/Gestão de Pessoas pela Universidade São Caetano do Sul. Atuação como Gestora de RH em empresas nacionais/multinacionais e hoje é Consultora Organizacional em Gestão de Pessoas especializada em Desenvolvimento Humano e Organizacional, Professora de Graduação no Ceunsp, Professora de MBA no Senac, entre outras instituições. Palestrante e Articulista.

 foto: Microfoto