Itu ganha Memorial do Convento

Aquarela “Convento do Carmo de Itu”, de Pery Blackman, pintada no Memorial do Convento do Carmo de Itu

No último 21 de maio, Itu ganhou mais um espaço cultural, o Memorial do Convento do Carmo “Dom Raimundo Lui”

A recuperação de um patrimônio ituano foi celebrada com três eventos na noite de 21 de maio. A abertura do Memorial do Convento do Carmo de Itu “Dom Raimundo Lui” foi um ganho cultural para toda a cidade. Reunindo objetos de arte sacra e de culto, o memorial preserva e divulga paramentos, imagens e livros que contam a história do convento ituano.

Originado no início do século XVIII, o Convento do Carmo, que homenageia o bispo ituano Dom Raimundo Lui, foi uma iniciativa do Prior do Convento, Frei Antonio Sílvio da Costa Jr. e está instalado em uma das salas do antigo mosteiro.

D. Raimundo Lui, o homenageado, pertenceu à Ordem do Carmo e é um personagem importante na história de Itu. Nasceu em 22 de julho de 1912, estudou em Mogi das Cruzes e São Paulo, onde foi ordenado sacerdote em 1939. Atuou como missionário na Bahia e como Capelão-militar da Marinha do Rio de Janeiro. Viveu em um mosteiro na Áustria, dedicado à vida contemplativa. Em 1962 foi sagrado bispo, tornando-se o primeiro da recém-criada Diocese de Paracatu. Participou ativamente do Concílio Vaticano II. Em 1977 renunciou ao governo da Diocese e retornou à vida conventual em Itu, Jaboticabal e São Paulo, onde faleceu em 1994.

Promovido pelo Madrigal do Museu da Música e com apoio da Secretaria Municipal de Cultura, na mesma noite da inauguração do Memorial, o concerto “O Romantismo na Música Sacra em Itu” foi apresentado ao público. Obras escritas por compositores italianos e amplamente utilizadas pelos antigos coros das igrejas da cidade estão preservadas no arquivo do Museu da Música e representam parte do patrimônio imaterial ituano.

texto Gisele Scaravelli

foto Divulgação