O local da ceia

 

 

Devido à funcionalidade das cozinhas americanas, as salas de jantar estão cada vez menos solicitadas. Porém, envoltas de muito charme, há quem não as dispense e faça questão de se reunir em família todas as noites e em ocasiões especiais como o Natal

Os móveis e outros itens de família garantem tradição e remetem às boas recordações na casa da arquiteta Tânia Bonilha, em Itu

A sala de jantar deve receber uma atenção especial na hora de ser projetada, pois é o lugar da casa onde a família se reunirá todas as noites. A harmonia entre os móveis e objetos é essencial; mesas e cadeiras podem ser compradas em conjunto ou separadas -desde que haja concordância entre elas. Detalhes como lustres, castiçais e um buffet para servir de apoio a jantares são itens encontrados frequentemente nesses ambientes e completam o charme na hora de receber familiares e amigos.

Preservando o hábito de gerações e vivendo diariamente com a história de sua família, a arquiteta Tânia Bonilha não pensou duas vezes ao projetar sua própria sala de jantar em sua casa, num condomínio de Itu. Com os móveis de sua mãe, que já tinham sido de sua avó, ela pensou no ambiente perfeito que abrigasse mesa e cadeiras confeccionadas há anos no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. “As cadeiras são entalhadas e têm um lindo trabalho de couro, coisas que não existem mais. Esses móveis foram da minha avó e depois da minha mãe. Eu me lembro de nos reunirmos na casa dela com esses móveis, por isso, quis preservá-los”, conta. Um nicho foi criado especialmente para abrigar o buffet antigo, onde spots de luz especialmente acima deles dão um destaque maior a sua magnitude. Em reuniões com a família, os pratos são deixados nele, para que cada um se sirva. “Eu acho que a sala de jantar tem que ser um local de sossego, então eu a coloquei próxima à cozinha, mas não muito perto, porque assim ficaríamos longe do barulho de cozinha”, explica a arquiteta.

Dois relógios na parede mais uma vez remetem às famílias dela e do marido. Uma peça era da casa da mãe de Tânia e a outra da casa de sua sogra. A arquiteta conta que sempre quis que sua casa tivesse história, por isso fez questão de manter itens de família. A integração da sala de jantar com a varanda foi uma maneira de ampliar a sala de jantar e ter uma linda vista. “Eu a integrei com a varanda, para ter a possibilidade de estarmos todos juntos mesmo no caso de as crianças quiserem brincar fora”, explica.

Integração

No projeto de Fernanda Santoro, em Salto, a sala de jantar moderna de Claudete Trevisan ganhou integração e aconchego

A modernidade e a pressa do dia-a-dia diminuíram esse espaço, aproximando-o cada vez mais da cozinha. Quando Claudete Trevisan quis reformar suas salas de jantar e de estar, ela fez questão que sua cozinha tivesse uma porta que a separasse da sala de jantar, onde apenas receberia sua família e amigos para ocasiões especiais. Assim que a arquiteta Fernanda Santoro foi chamada para reformar a casa onde a família já morava há 12 anos, vários projetos foram feitos em 3D para que Claudete tivesse uma noção melhor e pudesse escolher o que mais lhe agradasse.

Localizada em Salto, a residência ganhou uma nova sala de jantar, mais moderna e com uma mesa para oito pessoas. A utilização do buffet também permaneceu nessa proposta moderna, pois mesmo ficando ao lado da cozinha, não há necessidade de ficar o vai-e-vem entre os ambientes. “Eles têm privacidade total da cozinha deles. Então, se estiverem recebendo alguém, podem fechá-la e ficarem à vontade na sala de jantar”, explica a arquiteta.

A sala de jantar foi integrada com a sala de estar. Como os ambientes são todos muito claros, alguns pontos receberam um pouco de cor e detalhes em madeira. “A utilização de madeira foi exatamente para dar um aconchego. Como a casa é super clara, a madeira acaba dando uma cor e escurecendo alguns pontos. Ela também dá a impressão de acolhimento”, destaca Fernanda. Além de deixar de usar a edícula, que fica fora da casa, a família de Claudete não só utilizará a sala de jantar em ocasiões especiais, mas diariamente. “O Natal desse ano será aqui na sala, até o ano passado utilizávamos a edícula, mas aqui ficou charmoso e muito bonito. O Natal, sem dúvida, será lindo”, conclui a proprietária satisfeita.

texto e fotos Gisele Scaravelli