Os 300 anos de Aparecida

foto: Thiago Leon

Santuário é hoje o maior dedicado a Nossa Senhora no mundo

Neste 12 de outubro de 2017 será comemorado o Jubileu de 300 anos de Nossa Senhora Aparecida. Foi em 1717, no Vale do Paraíba, entre São Paulo e Rio de Janeiro, que três pescadores (Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves), encontraram a imagem quebrada no rio Paraíba do Sul.

Levados por necessidades econômicas, eles saíram a pescar, numa época de grande escassez de peixe na região. Chegando ao Porto Itaguassu, a primeira coisa que caiu em suas redes foi o corpo de uma imagem quebrada, na altura do pescoço. Num segundo lance de rede, pescaram a cabeça da mesma imagem. Juntando as duas partes viu-se que se tratava de Nossa Senhora da Conceição. Depois do encontro da imagem, como num milagre, a pesca de peixes foi abundante e os pescadores intuíram a presença e ação de Deus naquele evento. Por assim ter aparecido, o povo chamou-a de “Aparecida”, nome consagrado pela devoção popular, chegando a ser proclamada Rainha (1904) e Padroeira do Brasil (1930).

Hoje, exatos 300 anos depois, seu Santuário, em Aparecida, é o maior do mundo dedicado a Nossa Senhora. Recebe milhões de peregrinos anualmente, principalmente no mês de outubro. A Sala dos Milagres é um dos pontos mais visitados do Santuário, com milhares de histórias de graças alcançadas por seus devotos, inclusive famosos, como Renato Aragão, Daniel, Ronaldo, entre muitos outros. A história da Padroeira é repleta de milagres, como esses narrados até hoje no local:

  • A Pesca Milagrosa – Aparecimento de grande quantidade de peixes depois que a imagem surgiu na rede do pescador João Alves;
  • As Velas – Velas que se acenderam sem que ninguém as tocasse;
  • Milagre do Escravo – Quando as correntes que o prendiam se soltaram sozinhas;
  • Milagre da Cega de Nascença – Que viu ao longe a Igreja de Nossa Senhora Aparecida, quando para lá se dirigia;
  • Milagre do Cavaleiro Valente – Quando quis entrar a cavalo na Igreja e as patas do animal ficaram presas aos degraus;
  • Existe ainda a narração de vários milagres, como o menino salvo de afogamento no rio Paraíba, o caçador agredido por uma onça e tantas outras manifestações de fé.
Foto: Renato Lima

Imagem da Padroeira exposta no Santuário

Comemorações

O reitor do Santuário de Aparecida, padre João Batista de Almeida, o ecônomo do Santuário, padre Daniel Antônio e o arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes receberam a imprensa e apresentaram detalhes das celebrações do tricentenário.

Padre João Batista destacou a importância da Festa da Padroeira deste ano, em virtude dos 300 anos, justificando a alteração na programação que terá início no dia 1º de outubro com a novena, se estendendo até o dia 09. E nos dias 10, 11 e 12 de outubro será celebrado cada um dos centenários de Nossa Senhora Aparecida, evidenciando detalhes dessa história na programação.

Outros pontos foram destacados pelo reitor, como a presença do representante do Papa Francisco, o cardeal italiano Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos e presidente emérito da Pontifícia Comissão para a América Latina. O cardeal irá celebrar a missa do dia 11, às 9h e no dia 12, às 7h30. Diversos artistas das áreas da música, pintura, arquitetura, entre outros, durante os dias da Novena e Festa da Padroeira farão suas homenagens a Nossa Senhora Aparecida. Os grandes destaques das celebrações deste ano serão as duas missas campais preparadas especialmente para receber os devotos no dia 12 de outubro e o grande show de encerramento, às 20h30, que reunirá 12 grandes nomes da música: Daniel, Fafá de Belém, Agnaldo Rayol, Joana, Renato Teixeira, Elba Ramalho, Chitãozinho e Xororó, Alcione, Michel Teló, Paula Fernandes, Padre Fábio de Melo e Preta Gil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *